Orixá Regente 2021

Orixá regente 2021 é um assunto muito comentado, sobretudo neste período do ano.

Anos atrás era muito comum ouvir umbandistas dizerem “tal Orixá não é de Umbanda; é do Candomblé”. Isto demonstrava que a Umbanda cultuava alguns poucos Orixás e que o Candomblé estava aberto a todos os 401 Orixás e suas infinitas possibilidades, embora alguns ainda insistissem em 16 ou 21 Orixás. Nunca houve hegemonia ou concordância, e isto é a beleza do culto: a não uniformidade, a variação e a pluralidade de verdades.

Ainda assim sempre houve e há Orixás mais conhecidos, mais populares. Alguns são inclusive considerados “pop” por alguns segmentos menos tradicionalistas, como Iemanjá toma a frente das discussões entre energia sem cor e etnia ou ancestralidade africana. Nada é mais controverso que sua imagem branca; esta sim é “pop” de popular, goste ou não, todos conhecem.

Há Orixás “criados” na Umbanda que atraem a crítica acirrada de tradicionalistas da ancestralidade e questionadores da “Umbanda do outro” como Iofá, Yori, Yorimá ou Logunan, mas cada um anima, dá vida e sente suas verdades ou deidades independente do purismo ou verdade alheia, seja ancestral ou contemporânea.

Tudo isso para dizer: não rezamos para os mesmos Orixás, não concordamos em ideologia, teogonia ou mitológica; vivemos num berço de críticas e “desvalidações” das verdades alheias. Como poderíamos concordar e ter hegemonia num conceito tão fechado e limitado como Orixá regente do ano?

Como determinar o Orixá Regente

As indicações de Orixá regente sempre circulam e se repetem entre os Orixás mais conhecidos e populares. O ano é sempre de Oxum, Oxalá e Iemanjá quando parece tranquilo; Iansã, Ogum, Xangô e Obaluayê se parecer difícil; nunca vemos um ano de Logunedé, Ewá, Oroiná ou Orumilá, não é mesmo?

É comum ainda copiar a astrologia e fazer o sincretismo com astro regente e Orixá regente do ano; e isso acaba prevalecendo e traz certo conforto.

Prever o futuro traz o conforto e ilusão de controle. Ainda assim é possível pensar qual aprendizado particular você prevê para seu ano em particular e qual Orixá entre os que você conhece e cultua será o seu Orixá regente particular para 2021.

Assim pode ser para uma pessoa, um Terreiro e se estende ao aprendizado coletivo do país e do mundo.

Para mim, no meu pluriveso particular, 2020 foi de Oxumaré (impermanência, renovação, novos olhares) e 2021 será de Omulu (fechamento, encerramento, finalização de ciclo).

Quase esquecendo, complementando, como você entende e interpreta Orixá em sua vida também muda sua relação com regência e aprendizado particular; como eu vivo e sinto Omulu difere da experiência e da regência de outros olhares e interpretações.

Ilustrações: AUGUSTINHO

Tags: