Umbanda é caridade: entenda o que isso significa

Umbanda é caridade. Isso rapidamente todos ensinam.

Umbanda é a prática da caridade. Mas caridade não é colocar as pessoas no colo e resolver os problemas delas.

Caridade não é apenas consolar, mas também esclarecer. É necessário que o movimento umbandista se conscientize disso.

A Umbanda coloca inúmeras ferramentas energéticas, magísticas, espirituais e conscienciais à vossa disposição.
Repassem essas ferramentas. Façam com que não apenas os médiuns e integrantes da corrente conheçam as “mirongas de umbanda”, mas as ensine, de forma simples e prática, para que a assistência também se beneficie, quebrando a dependência dela em relação aos Guias.

Umbanda é caridade. Umbanda é esclarecimento!

Esclarecer também em relação ao mundo espiritual, as leis cármicas, de afinidades, etc.

Esclarecer a respeito dos Orixás, da família espiritual de cada um.

Tantos são os assuntos que poderiam ser ventilados dentro dos Terreiros para melhor desenvolvimento das pessoas, mas muitos umbandistas ainda estão mais preocupados com os fenômenos, com a manifestação, esquecendo de se voltar para a filosofia espiritualista que está no âmago e na sustentação da religião de Umbanda.

Lembre-se: tem coisa que nenhum passe, nenhuma magia, nenhum banho ou defumação irá resolver.

Mas talvez uma boa conversa, um bom livro ou apenas uma nova visão em relação à vida possa mudar.

Umbanda é caridade, sim. E está cheia de milagres e encantos. Mas esses milagres e encantos são simples, acontecem a todo momento. É uma pena que a maioria dos homens e mulheres não têm olhos para ver…

Para exemplificar vou contar um pequena história a seguir.

Aconteceu na Antiga África

Era uma vez um grande sacerdote que tentou realizar uma cerimônia para ressuscitar seu filho, um grande guerreiro morto em guerra.

Toda a tribo se reuniu para ver se tamanho feitiço daria certo. No meio da cerimônia o corpo do guerreiro sacudiu, tremeu, estrebuchou, rolou e finalmente se levantou.
Os olhos eram vidrados, mortos. A tribo estava quieta de tanta tensão. Finalmente o corpo novamente caiu morto no chão.

A tribo ficou encantada. Aquele homem era milagroso, capaz de ressucitar um homem, mesmo que por poucos segundos. Incrível…

Em um canto da tribo perguntaram ao velho Meji, que pouco se importara com aquele ‘show’ o que ele achava de tudo aquilo. E ele disse:

– Ora, como alguém pode ressuscitar aquilo que nunca morreu? O milagre já está aí, acontecendo a todo momento. O espírito livre, a realidade imortal dele no coração do Orixá. O maior milagre é a própria vida. Mas vocês se perdem naquilo que os olhos podem ver…

Fim da história.

Podemos dizer que é assim até hoje.

A maioria busca por milagres, transitórios, opacos, sem vida, que nada acrescentam.
Os Terreiros de Umbanda estão cheios desses antigos sacerdotes vendedores de milagres, assim como de olhos obcecados por eles.
Mas em todos os cantos, tal qual o velho Meji, a palavra sábia do Preto Velho ainda ecoa tentando despertar alguma coisa no coração espiritual das pessoas.

Onde está o milagre? No manifesto ou no imanifesto? No transitório ou no imortal? No finito, ou no absoluto? Na visão, audição, tato, paladar, olfato ou no coração?

Pense bem…

Trabalhe dentro da Lei de Umbanda, mas não faça desse trabalho um fim.
Cresça, melhore, desenvolva-se como consciência. Médium ou não, você está cheio de potencialidades, capacidades, dons.
Não dependa em tudo dos Guias espirituais.
Não faça dos Orixás e de seu culto um mercado de troca de favores e vantagens.

Umbanda é caridade, mas a maior riqueza que os Orixás podem doar a vocês não é acessada através de uma oferenda mas é sim encontrada no coração limpo, no Terreiro simples e aconchegante que existe aí dentro, na sala de iniciação amorosa que ele É.

Limpe os pés sujos pela lama do ego antes de entrar.
Limpe as mãos sujas pela treva da ignorância antes de tocar e abrir o pórtico de acesso.

E, principalmente, vá de intenção nobre a altruísta. Vá de alma e espírito brilhando.

A verdadeira iniciação dos Orixás acontece aí dentro. A todo momento. É como um milagre. Escute, ouça, sinta…

Seja Um com Ele! Nisso reside todo mistério.

O que é Umbanda? Umbanda é como aquela pérola bonita. Não pode ser vista, pois seu brilho é capaz de cegar.

É como aquela poesia que nunca será escrita. As palavras são pobres para descrevê-la.

É como a canção silenciosa cantada pelas estrelas. Só o coração pode escutar.

É como a simplicidade do Preto Velho. Tão natural.

É como a alegria da criança. Tão ingênua.

É como o sorriso do Exu. Tão enigmático.

Umbanda é uma imensidão de povos e culturas. É uma imensidão de rostos. É o Todo.

É a banda que trabalha pelo UM. É singela assim…

Umbanda é caridade, mas há que se trabalhar para que a roda gire e o mundo evolua.

Psicografia
Mensagem do Pai Antonio de Aruanda recebido pelo médium Fernando
Imagem
Bendito Benedito