Ex-Bruna Surfistinha e sua relação com a Umbanda

Bruna Surfistinha foi o nome com que Raquel Pacheco ficou conhecida em todo o Brasil.

Assim, cabe lembrar que Raquel, filha adotiva de um casal de classe média alta, fugiu de casa aos 17 anos.
Afinal, queria liberdade e alega que este foi um dos principais motivos para a fuga.

Além disso, alegou também que nunca recebeu a devida afeição dos pais até aquele momento.

Com efeito, sua história virou filme.
Pois, decidida a ser independente, acabou por se prostituir.
E ficou famosa depois de criar um blog onde narrava detalhes de sua vida e de seus clientes, sempre de forma anônima.
Aliás, foi daí que nasceu sua nova identidade: Bruna Surfistinha.

Desde então, muita coisa mudou.
Assim, a hoje DJ Raquel Pacheco não é mais garota de programa e até se encontrou com a espiritualidade

Ex-Bruna Surfistinha e a Umbanda

Desse modo, em declaração dada a Eliane Trindade, da Folha de São Paulo, relatou seu encontro com a Umbanda.

Em outras palavras, a religião preencheu o vazio que sentia.

Bruna Surfistinha Umbanda

“Nunca tinha me identificado com uma religião”, diz.
“A cada Gira o médium acaba se conhecendo mais e valorizando mais a vida.
Parei de reclamar dos meus problemas, de meus pais não me aceitarem.”

A ex-Bruna Surfistinha se descobriu filha de Ogum e hoje trabalha na Casa de São Lázaro, na zona sul de São Paulo.

Em suma, Raquel afirma que chegou ao Terreiro depois de ter sonhado em 2011 com sua mãe, que parecia lhe dizer algo, chorando.

Ainda assim, confessa que tinha preconceito contra a religião.
Então, uma de suas amigas a levou à Casa de São Lázaro para tomar um passe.

Ao passo que, ao chegar lá, tomou um passe durante a Gira de Exu Mirim, que lhe disse:

“Tia, aconteceu uma coisa que não posso contar.
Você vai ter que procurar sua mãe e saber por ela.”

No momento em que a entidade falou Raquel afirma que teve a certeza de que algo tinha acontecido com seu pai.

Retomando contato com a família

Em seguida, acabou ligando para sua mãe.
Contou do sonho e da visita ao Terreiro de Umbanda.

“O Guia me pediu para entrar em contato com a senhora.”

Então Raquel – que estava distante da família – soube que seu pai havia falecido, e havia sido enterrado no dia que ela teve o sonho com sua mãe.
Ainda durante o telefonema, a mãe de Raquel disse que em breve a procuraria, num aceno de reaproximação.

“Já faz cinco anos e nada por enquanto”, disse Raquel.

Ela afirmou ainda que seus pais nunca a perdoaram por ter se tornando garota de programa.
Porém, a ex-Bruna Surfistinha disse também que hoje se sente fortalecida graças à Umbanda.

“O Terreiro é um dos poucos lugares que eu me sinto Raquel mesmo.
Nas correntes, os médiuns nunca faltaram com respeito comigo.
Nunca me trataram como Bruna. Sou Raquel desde o primeiro dia.”


Nota do Umbanda Eu Curto: Para nós, o destaque desta história é o fato de que, independentemente da vida pregressa de qualquer pessoa, todos são bem vindos na Umbanda que, em sua maioria de Terreiros, acolhe a todos sem distinção.


Conheça as características dos FILHOS e FILHAS dos ORIXÁS e como eles influenciam o seu modo de ser e de agir. CLIQUE AQUI