Jesus está voltando? O meu nunca me abandonou!

Jesus está voltando. Muitos de nós já viram esta frase por aí. Tem até outdoor em algumas cidades. Mas que Jesus é esse? Ele vai reencarnar em alguém? Teremos uma nova Virgem Maria? O que significa isso?

Abaixo reproduzimos um texto publicado originalmente pela página Falando de Espiritualidade que traduz uma visão simples e verdadeira da relação entre Jesus e a Umbanda.

Acompanhe!

Nos caminhos da minha vida, Exu é quem chega à minha frente.

Ogum me acorda todo dia – e ao lado dele enfrento minhas batalhas.

Graças a Oxóssi, nunca me faltou pão à mesa.

Oxum me fez fértil de pensamentos e sentimentos – sou amado e muito amo.

Iemanjá abençoa minha família e Nanã me dá sabedoria.

Omulu cuida das doenças que médico na Terra não resolve e Ossaim o ajuda com o remédio que indústria farmacêutica nenhuma é capaz de produzir.

Oyá (Iansã) fez de mim um homem forte e corajoso e Xangô me ensinou que conforme for meu plantio, assim será minha colheita.

E ai de mim se não existessem os Pretos Velhos!

As Crianças me dão alegria de viver; e é no chicote do Boiadeiro que toda demanda cai por terra.

Caboclo é meu ancestral brasileiro, dono desta terra, a quem honro todo santo dia em minha amada Umbanda.

Com os Ciganos conheço o mundo porque somos partículas de um todo e o todo está em nós.

Estou sob o Alá de Oxalá que me veste de paz!

E Jesus? Jesus está voltando, como dizem?

Jesus? Bem meu irmão, sinto em te dizer mas Jesus é meu amigo. Meu companheiro. Meu parceiro. O maior médium que já existiu. Exemplo a ser seguido. Sonda meu coração diariamente e se diverte com minhas mancadas. E sabe onde realmente o conheci? Não se assuste: eu conheci Jesus num Terreiro de Umbanda.

Jesus está voltando? Não, ele sempre esteve lá. No Terreiro.

Não falo da imagem de gesso no topo do altar. Ele estava nos olhos do meu irmão que com fome me pediu um quilo de feijão e eu catei tudo o que tinha no Terreiro pra dar a ele.

Era Jesus que estava abraçando uma criança à noite, moradora de rua, quando fomos entregar quentinhas e seus pais estavam drogados.

Ele estava também nos olhos do pai de família desempregado sentado na assistência. Estava de mãos dadas com a criança desenganada pelos médicos que o Preto Velho, em teu santo nome, curou.

Ele estava no asilo com aquele senhor que não tinha nada, não sabia nem mais falar direito, mas que segurou minhas mãos e orou por mim.

O seu Jesus está voltando?

O meu nunca me abandonou!