Batalha Espiritual: além da porta do Terreiro

Batalha espiritual é um termo forte, mas o texto abaixo o justifica. Não conseguimos determinar seu autor, mas suas informações são de grande validade.

Acompanhe!

Cada vez que um zelador (Pai ou Mãe) de Santo decide fazer uma Gira de Umbanda, a baixa espiritualidade entra em polvorosa. E então se inicia um trabalho maléfico para atrapalhar quem só quer fazer o Bem.

Exus guardiões isolando o entorno do Terreiro ficam sendo constantemente bombardeados, está posta a batalha espiritual. Os médiuns da Casa passam a ser atribulados para deixar de cumprir os preceitos, dificultando sua rotina para que desistam de ir trabalhar, ocorrendo inúmeros motivos para evitar a todo custo que a Gira aconteça. E com a assistência (ou consulência) não é diferente.

Muitas coisas podem acontecer: uma dorzinha de cabeça chata, um amigo que liga para ir a uma festa, o carro com algum problema de última hora. Mas você persevera e vai!

E toda vez que você entra em um Terreiro de Umbanda, já sabe, na porta há muitos sentinelas. Exus estão ali para selecionar quem pode ou não pode entrar.

Às vezes, quiumbas estão de tal forma entranhados no perispírito da pessoa que acabam passando; noutras vezes alguns que já estão aptos a serem doutrinados são permitidos. Mas a esmagadora maioria dos espíritos malfazejos, obsessores, espíritos perdidos, espíritos que trabalham para o mal são “travados” na porta.

Os guardiões bloqueiam a sua entrada e não é de se espantar que eles detestem isso. Afinal, parasitas não gostam de ser separados do seu hospedeiro.

Nem sempre é uma tarefa fácil para os guardiões. Muits vezes os quiumbas travam lutas sérias pra poder entrar. Muitos deles estão desencarnados e corroídos pelo mal há milênios, apresentam muita força e, além disso, a energia de quem entrou no Terreiro é tão ruim (e a afinidade com o quiumba é tão grande) que os Exus sofrem ataques espirituais sérios para impedir a entrada destes no entorno sagrado e imaculado do Terreiro.

É por isso que ao adentrar o Terreiro você se sente aliviado em pouco tempo. Mas, infelizmente, nem todo mundo que vai ao Terreiro vai em busca de paz, não é mesmo?

Cada vez que alguém pede para desfazer um casamento e vai buscar o marido da outra, por exemplo, uma batalha séria é travada lá fora, porque um quiumba se fortalece energeticamente e luta ferozmente pra ir para junto do consulente.

Se você pensa em fazer mal a alguém, quer prejudicar inimigos que você mesmo fez, quer vingança contra algum desafeto, faz pedidos errados, coisas que você não merece, acontecem milhares de tentativas de furar o bloqueio. E a batalha espiritual se faz ali presente.

Exus são confrontados seriamente e os quiumbas vão ficando cada vez mais fortalecidos pelas energias maléficas que você está dando a eles. Quase nunca eles vencem porque os Exus estão muitos degraus acima deles em força e poder, mas creia: eles estarão esperando lá fora.

E se a sua ida ao Terreiro não for para aumentar seu padrão vibracional, ser grato pela sua vida, pela sua saúde e pela limpeza do seu períspirito, mas pra conseguir intentos imerecidos e satisfazer seus desejos insanos, provavelmente eles vão te “pegar na saída”.

E se for assim, sua ida ao Terreiro não valeu de nada. Nenhuma entidade de Luz vai te dar nada que você não tenha trabalhado pra comprar e nenhum amor que você não tenha trabalhado para conquistar.

Neste caso, infelizmente você só terá mesmo feito o jogo dos quiumbas: atrapalhou os trabalhos do Bem, ativou a batalha espiritual e gerou ainda mais trevas pra sua vida. Na Umbanda, o responsável por seus atos é sempre você mesmo.

Então, sabendo agora desta batalha espiritual, quando for ao Terreiro, vá pra somar.

Ninguém que seja do Bem faz o mal e vice-versa. Se você quer escolher o lado do mal, o livre-arbítrio é seu, mas respeite o sagrado alheio!

Vá ao Terreiro com fé, disposição e boas intenções. Dessa forma, nada de mal lhe ocorrerá, pelo contrário: a energia do Bem o acompanhará da porta para fora e o protegerá. Vamos refletir sobre isso!

Tags: