Publicidade
Início Notícias Cultural Bienal do Livro 2018 traz debate sobre Fé e Ciência no mundo...

Bienal do Livro 2018 traz debate sobre Fé e Ciência no mundo atual

0
2034
Publicidade

Bienal do Livro 2018 terá em sua programação a mesa “Religião e contemporaneidade”.
Ao mesmo tempo, reunirá pela primeira vez quatro ícones de diferentes vertentes: Monja Coen, Nilton Bonder, Alexandre Cumino e Pedro Siqueira.

Assim, Budismo, Umbanda, Judaísmo, Catolicismo estarão juntos.

Igualmente, crenças, ceticismo, ciência e fé se encontram no maior evento literário da América Latina.

Dessa forma, a Bienal do Livro 2018 em São Paulo, que acontece de 3 a 12 de agosto, chega à sua 25ª edição e contará com um debate inédito e bastante atual sobre o papel das diversas crenças no mundo de hoje.

Portanto, a conversa “Religião e contemporaneidade” acontece dia 8 de agosto, às 18h30, no espaço Arena Cultural.

Analogamente, irá reunir a monja Zen Budista conhecida como Monja Coen, o rabino Nilton Bonder, o cientista religioso e sacerdote de Umbanda Alexandre Cumino, e o advogado católico Pedro Siqueira.

O público poderá acompanhar diferentes visões sobre as diversas crenças religiosas abordadas, suas mudanças, avanços, conflitos etc.

Ainda mais, ao completar 50 anos, o intuito da Bienal do Livro 2018 é trazer temas atuais ao cenário cultural e literário, contribuindo para promover a diversidade de pensamento.

CONHEÇA OS PARTICIPANTES

Monja Coen é fundadora da Comunidade Zen Budista Zen do Brasil, entidade criada em 2001, com sede no bairro do Pacaembu, em São Paulo.
A saber, teve seu primeiro contato com o zen-budismo no Zen Center de Los Angeles, onde fez os votos monásticos, em 1983.

Em seguida, residiu por oito anos no Mosteiro Feminino de Nagoia, no Japão.
Logo depois, graduou-se como monja especial, habilitada a ministrar aulas de Budismo para monges e leigos.
Apresenta um programa na rádio Mundial, cujo conteúdo é embasado no livro “Zen pra Distraídos” (Editora Planeta), lançado este ano e sobre o qual falará na Bienal.

Nilton Bonder é rabino da Congregação Judaica do Brasil.
Aliás, se destacou como um dos maiores intérpretes literários da antiga sabedoria judaica.
Ao mesmo tempo, Bonder publicou mais de 20 livros pela Editora Rocco, entre os quais destacam-se:

Exercícios d’Alma; Portais secretos e a trilogia A Cabala da comida.
Sua obra A alma imoral, que deu origem à peça homônima interpretada por Clarice Niskier, é um dos maiores sucessos do teatro brasileiro.
Inegavelmente, “Alma & Política” é seu mais recente livro e será lançado na Bienal.

Alexandre Cumino é cientista da Religião, bacharelado pela UNICLAR, médium, dirigente e sacerdote de Umbanda.
Ademais, é responsável pelo Colégio de Umbanda Sagrada Pena Branca onde ministra diversos cursos.
Tem o programa “Umbanda Linda” na Rádio Mundial FM 95,7, todos os domingos às 14:30.
A saber, mantém o Canal Colégio Pena Branca no YouTube, com dezenas de vídeos autorais sobre o assunto.

Igualmente, é autor de diversos livros, entre eles destacamos:
“Umbanda e o Sentido da Vida”, “Deus, Deuses, Divindades e Anjos”, “Umbanda Não é Macumba”, “O Sacerdote de Umbanda”.
É um dos principais colaboradores do maior portal de Umbanda na internet, o Umbanda Eu Curto.
Além disso, durante a Bienal do Livro 2018 em São Paulo, lançará seu mais recente trabalho, “Exu não é Diabo”.

Pedro Siqueira é escritor, advogado e professor de direito.
Além disso, conduz um grupo de orações católico centrado na devoção Mariana do Rosário.
Neste, transmite revelações do Espírito Santo, mensagens de Nossa Senhora e de santos e anjos.
Assim, em 2008, numa visita ao Santuário de Fátima, em Portugal, recebeu uma mensagem de Nossa Senhora.
Ela dizia que Pedro deveria escrever sobre suas experiências místicas como uma forma de ajudar as pessoas no caminho da espiritualidade.

Dessa forma, com mais de 170 mil exemplares vendidos, é autor de “Você pode falar com Deus” e “Todo mundo tem um anjo da guarda”.
Além da série de ficção composta por “Senhora das águas”, “Senhora dos ares” e “Senhora do sol”, cujo lançamento será na Bienal do Livro 2018
– ambos publicados pela Editora Sextante.

EXU NÃO É DIABO

Afirmar que “Exu não é o Diabo” é muito certo, fácil, tranquilo e claro para todos que conhecem Exu Orixá ou entidade.
Além disso, também considerado guia, guardião, amigo e Mestre.

No entanto, nesse contexto, não basta dizer quem é Exu, mostrá-lo, revelá-lo ou desmistificá-lo.
Igualmente, é preciso questionar, também, quem é ou o que é diabo.

Da mesma forma que as pessoas acham que sabem quem é Exu, também acham que sabem quem é diabo.
Assim, no campo desta ciência nada exata chamada “achologia”, a base fundamental é a ignorância, mãe do preconceito, de onde surgem as definições, associações e ligações mais absurdas e até ridículas.
Por fim, a grande maioria das pessoas não sabe nem quem é Exu e muito menos quem é ou o que é “Diabo”.

Quando um grande número de pessoas passa a crer em algo, por mais que esteja errado, aquilo passa a ser considerado certo no conceito popular, no “senso comum”.

Em “Exu não é Diabo”, de Alexandre Cumino, temos a oportunidade de revisitar todas estas questões com “senso crítico”, por meio de pesquisa, conhecimento, inspiração e
mais de vinte anos vivendo estas verdades na Umbanda.

SERVIÇO
25ª Bienal do Livro 2018 de São Paulo

DATA
03 a 12 de agosto de 2018

LOCAL
Pavilhão de Exposições do Anhembi
Av. Olavo Fontoura, 1.209 – Santana – São Paulo – SP

INFORMAÇÕES
www.bienaldolivrosp.com.br