Incorporar em casa: características e riscos

0
5439
Publicidade

Incorporar em casa é um tópico recorrente.

Antes, vale definir o que é incorporação. É o ato em que uma matéria (pessoa) recebe um espírito (bem ou mau intencionado) para que ambos (acoplados um ao outro) atuem no ambiente (seja para uma consulta, atendimento, orientação, descarrego, magia, proteção, etc).

A incorporação deve acontecer preferencialmente no Terreiro ou ilê, local adequado para este processo, pois ali são depositadas ferramentas (assentamentos, congá, tronqueiras, firmezas de Orixás, etc), são cantados pontos (rezas) específicos para abertura/fechamento de Jurema, defumação, outros.

Ali está a presença de um dirigente (quem dirige) e sacerdote (quem zela) que são diretamente responsáveis por tudo que acontecer neste local (física, jurídica e espiritualmente).

Podemos contar com a força dos atabaques através da Curimba, com uma equipe de Cambones que estão preparados para auxiliar os Guias, etc.

 

PORQUE NÃO POSSO INCORPORAR EM CASA

A casa é o seu local de moradia.

Por mais que se tenha Exu na porteira, aquela proteção é para sua moradia e não para trabalhos espirituais.

Nenhum Terreiro pode exercer suas atividades espirituais sem estar vinculado a uma federação espírita, pois é ela que regulamenta e defende os direitos e deveres dos seus interessados.

Uma pessoa que incorporar em casa a sua entidade ou realizar trabalhos de magia para terceiros (um amigo, um vizinho, um parente) sem regulamentação pode ser denunciada pelo artigo 283 do código penal (charlatanismo), além de colocar em risco as pessoas que ali residem (risco de cargas, abertura de portais, fazer com que os espíritos venham ali entendendo que tendo um Guia será local de trabalhos, etc).

Reservar um local para este rito além de respeitar o que a religião se propõe é garantir a proteção da doutrina, dos fundamentos e a segurança de seus frequentadores.

É assumir que para este trabalho se precisa de uma equipe.

Um Guia de luz quando tem recado para seu filho pode dar durante a sessão no Terreiro.

É muito cômodo acabar a sessão no Terreiro (sob supervisão do dirigente) e o Guia querer dar recados a ele ou à família em casa (longe do dirigente).

É inegável que alguns trabalhos são necessários de serem feitos em casa, mas quando isso acontecer, tem que ser discutido com as regras do Terreiro e federação que vocês são associados.

A nossa religião não é “terra de ninguém” onde cada um faz o que quer.

Existem ritos, regras e práticas que precisam ser seguidas.

Entre estes ritos estão fundamentos como: roupa branca, pontos cantados, banho de ervas, defumação, cruzamento de pemba, louvação a Exu, ponto riscado e outros itens que ativam as defesas da casa para inicio de trabalho mediúnico.

Outro artigo jurídico que pode ser enquadrado o médium em “exercício espiritual” sem regulamentação:

Art. 284 Exercer o curandeirismo:
I – prescrevendo, ministrando ou aplicando, habitualmente, qualquer substância;
II – usando gestos, palavras ou qualquer outro meio;
III – fazendo diagnósticos.

 

O TERREIRO E A MINHA CASA SÃO NO MESMO LUGAR

Nesse caso o Pai de Santo toma os cuidados para separar as energias e fazer a firmeza de uma e de outra.

Mesmo assim é aconselhável reservar dias específicos para Gira e não fazer com que a qualquer momento do dia ou da semana “desçam guias” para trabalhar.

Imagina um churrasco na sua casa, todos bebendo e seu Guia chegando para dar passe. Não tem o menor cabimento!

O Guia se é de luz respeita o momento das pessoas e dos lugares.

Ele não vai te pegar na feira, na fila do banco ou durante o sexo com seu parceiro (a).

A incorporação é um processo sério e qualquer coisa que fuja disso se aproxima muito mais a eguns do que a Guia de luz.

 

DIFERENÇA DO GUIA QUE VEM PARA CUIDAR DE MIM VERSUS DOS OUTROS

Em um caso de extrema urgência, é compreensível que o Guia tenha que ir cuidar da pessoa (um passe rápido para desobsessão).

Mas a consulta deve ser reservada/combinada no Terreiro.

O próprio Zélio de Morais, fundador da Umbanda, preparou a casa do seu médium para se tornar um Terreiro.

Agora, se o médium quer incorporar em casa para dar atendimento, ele precisa estar afiliado a uma federação espírita.

Ele pode ser um Terreiro de um médium só, mas a federação precisa saber que ali atende um Guia e que juridicamente qualquer coisa que der errado, qualquer denúncia que um vizinho queira fazer (sobre ficar incomodado com ato, barulho, etc) ele tem um órgão para fazer a denúncia e vice-versa.

Se este prefere incorporar em casa para dar atendimento, precisa de alguém para zelar pelos seus direitos, e a federação também intermediará esta relação.

 

O GUIA VEM NA MINHA CASA E DÁ CONTA DE TUDO

Parabéns! É sinal de que você não precisa mais estar vinculado a um Terreiro.

O Guia que quer descer em casa e ditar as próprias regras está lhe dizendo que você não precisa mais fazer parte de um Terreiro, que o que ele faz e prega é suficiente para dirigir a sua vida espiritual.

Quando um Guia começa a criticar as regras da casa que está vinculado, ele só tem 3 opções:

A) Se adapta ;
B) Muda de casa ou
C) Orienta o seu filho a abrir a sua casa.

 

EGO E INTERESSES PESSOAIS

O Guia que dá consulta está junto de seus companheiros em uma corrente de trabalho (no ilê!).

Ele, que deseja estar em casa dando consulta a seus amigos e familiares, corre o risco de sucumbir ao ego e conflitos de interesses pessoais.

Nossa religião não tem espaço para egos. Isso é maior que qualquer espírito e deve ser respeitado.

 

TRABALHOS PARTICULARES EM CASA

Apenas médiuns autorizados a dar passes podem fazer trabalhos particulares em casas para limpezas.

Médiuns em desenvolvimento, se tivessem este poder, já seriam médiuns de passe.

 

RISCOS ESPIRITUAIS DE INCORPORAR EM CASA

Pode pegar uma carga que ao invés de ajudar, pode atrapalhar ainda mais a vida das pessoas presentes.

Pode desrespeitar as regras da casa que você trabalha.

Pode incorporar um quiumba/egun se fazendo passar pelo seu Guia.

Pode passar na frente do seu Guia e dar recados que são mais dos seus interesses do que das pessoas.

Pode trazer para casa portais de acesso a outros espíritos, pois se eles entendem que ali é lugar de descer, vira-se um local para estes fins.