O exemplo da Umbanda em tempos sombrios

Exemplo da Umbanda. Pois a religião é sim exemplo de resistência, resiliência, paciência, sabedoria e respeito ao outro. Não dá para pensar na Umbanda como algo individualista.

Para a magia acontecer, não dá para ter apenas os médiuns. Tem a união do médium e do Guia espiritual. Mas não dá apenas para ter o médium e o Guia. Precisa do cambone, para auxiliar o Guia espiritual incorporado. Mas não dá só para ter os médiuns e o cambone. É preciso ter um dirigente espiritual, que conduz os trabalhos.

E não para por aí. É necessário que tenha a assistência, que são as pessoas que buscam orientação e ajuda e, se refletirmos, na própria assistência uns ajudam aos outros. Quem está quase sem forças, se espelha a quem está fortalecendo sua fé. Quem conseguiu ajuda incentiva quem ainda está passando por um momento difícil a não desistir. E assim vão criando-se os ciclos.

Na Umbanda, a coletividade faz morada. Todas as Giras, todas as orientações, todos os sentimentos conduzem uns aos outros.

Como disse seu Cobra Coral, no primeiro trabalho espiritual da T.U. Cabana do Pai Antônio e os Filhos da terra:

“Que vocês lembrem para sempre deste dia. Ninguém faz nada sozinho. Com união, amor e fé, vocês podem fazer sempre melhor. Nunca se esqueçam disso.”

Agora, olha para o momento que estamos passando. Não importa sua nacionalidade, posição social, religião ou qualquer que seja a divisão de grupo. Estamos todos no mesmo barco. Sempre foi assim e sempre será. Se algum dia nos esquecermos, implacavelmente, a vida vai dar um jeito de nos lembrar.

O exemplo da Umbanda: uns pelos outros

Somos uns pelos outros. Veja o exemplo da Umbanda. A Umbanda, por si só, pode auxiliar e muito nesse momento sensível e delicado. Usando apenas o que acontece em todas as Giras.

No que diz respeito à conduta, busquemos na essência a sabedoria dos Pretos Velhos e Pretas Velhas. Para tranquilizarmos a mente, observarmos as situações e agirmos com sabedoria e cautela.

No que diz respeito às ações, busquemos na essência a disciplina dos Caboclos e Caboclas, “orai e vigiai”, agindo de forma com que nos reguardemos e preservemos ao próximo.

No que diz respeito às emoções, busquemos na essência a pureza dos Erês/Crianças/Ibejis, para que possamos sorrir em meio ao caos e deixar as coisas um pouco mais leves.

Coloco aqui, algumas dicas que acredito ser relevante:

  1. Vamos manter a calma, disciplina e sabedoria, de interromper momentaneamente as Giras públicas para ajudar na prevenção contra a pandemia do Covid-19 (Coronavírus). Essa fase vai passar e voltaremos ainda mais fortes;
  2. Evitemos compartilhar demasiadamente informações sem fontes confiáveis, para que não aumentemos a ansiedade e pânico das pessoas;
  3. Nossos Guias espirituais, junto a Deus e aos Orixás, estão trabalhando incansavelmente para auxiliar aos médicos terrenos e também a todos nós. Continuemos elevando nossos pensamentos, fazendo nossas orações, nossas firmezas e banhos com ervas;
  4. Fé, calma e paciência. Tudo isso vai passar! Vamos cada um fazer a nossa parte e o que estiver ao nosso alcance. Sejamos exemplo. Sejamos o exemplo da Umbanda. Sejamos a própria essência da Umbanda.
  5. Links úteis e seguros:
    Ministério da Saúde
    Dráuzio Varella
    – Aplicativo Coronavírus – SUS para esclarecer as dúvidas sobre a doença na versão Android e IOS
    – Informações e cuidados com a Dengue

Que Deus, os Orixás e Guias espirituais continuem nos instruindo, protegendo e abençoando. Que possamos vencer o coronavírus e tirar o máximo de lição desse momento.

Que pai Obaluayê esteja conosco e nos ajude a levar essa pandemia para bem longe.

Atotô. Axé. Saravá!