A morte bate à porta. A vida é a porta

A morte bate à porta é um texto feito rapidamente por nosso colaborador David Veronezi, que você confere todas as quartas-feiras, às 20 horas, em sua LIVE semanal SARAVÁ FRATERNO.

Embora tenha sido escrito rapidamente, de forma intuitiva, isso não significa que tenha sido mal elaborado ou pouco refletido, muito pelo contrário.

Em A morte bate à porta. A vida é a porta você entenderá como as questões mais essenciais para os seres humanos podem ser postas de maneira simples. E mesmo assim a reflexão segue presente, mesmo após a leitura.

Acompanhe!

Eu vou morrer! Estou morrendo! E depois disso? E depois da morte?

O que eu vou fazer com as palavras não ditas, com os abraços não dados, com as vontades não feitas?

Aonde vou enfiar os ressentimentos e mágoas? Para onde vão os desejos reprimidos e os momentos não vividos?

Por que não pedi perdão e não aceitei o perdão antes?
Por que economizei no “Eu te amo“?
Por que não recomecei tudo que deixei pra depois?

Aonde vou enfiar as vergonhas, os medos, os sonhos e as fantasias?

Porque me permiti estar morto em vários momentos da vida, antes da morte?

Porque não li aquele livro, assisti aquele filme, fiz aquela viagem, comprei aquela coisa, fiquei perto daquelas pessoas?

Porque não me permiti mais? Porque tantos porquês sem serem experimentados?

A cada dia que passa estou mais próximo da morte, do que estava ontem, ela se aproxima, lenta ou rápida, ela está chegando… Todo dia a morte da um passo na minha direção, todo dia…

Eu vou morrer, você também!
Estou morrendo, você também!

Será que ainda resta tempo para fazer da vida uma celebração, antes que a música e a dança acabe?
Será que ainda resta tempo de rir mais, dançar mais, cantar mais, sentir mais, fazer mais, amar mais?
Será que ainda resta tempo de viver o tempo que ainda resta?
Será que ainda resta tempo, antes do último até logo?

A morte bate à porta. A vida é a porta.