Publicidade
Início Matérias Textos Dirigente espiritual: construção do seu próprio caminho na Umbanda

Dirigente espiritual: construção do seu próprio caminho na Umbanda

0
2967
Publicidade

Dirigente espiritual, Sacerdote, Pai de Santo e muitos outros termos são utilizados dentro de um Terreiro de Umbanda.

Preferências à parte, o que sabemos é que não existe uma fórmula mágica que transforme uma irmã ou irmão de fé em dirigente (vamos ficar com este termo) do dia para a noite.

E por mais que na Umbanda as questões hierárquicas sejam mais difusas, ainda assim há sempre um fundador ou fundadora do Terreiro.
E esta pessoa, naturalmente, dirige a Casa e os trabalhos.

Até aí, tudo certo.

Filhas e Filhos de Santo continuam sendo formados da maneira tradicional, dentros dos Terreiros, por aconselhamento, prática e oralidade junto aos mais velhos.
E, de novo, até aí tudo certo.

Mas a Umbanda está crescendo e se desenvolvendo.
É grande o interesse dos umbandistas pela própria religião.
Muitos continuam pensando o Terreiro como ‘pronto socorro da fé’, mas notamos que o esforço em trazer luz e conhecimento à Umbanda tem trazido resultados.

E este trabalho de trazer conhecimento para os umbandistas tem gerado um círculo virtuoso, onde mais conhecimento gera mais interesse que, por sua vez, gera mais adeptos e o ciclo continua.

Decorrente disso, observamos que o número de umbandistas cresce (assim como de médiuns e Terreiros).

E, nesta lógica, mais irmãs e irmãos se interessam em iniciar um caminho próprio na Umbanda, fundando novos Terreiros.

Nessa hora muita coisa acontece: dúvida, medo, muitas decisões a tomar e pouca ou nenhuma experiência.

Ser um dirigente espiritual é sim tornar-se líder de uma comunidade religiosa, mas vai além.

É decidir diariamente sobre fatores que ultrapassam a Umbanda como gestão de pessoas, de processos e gestão financeira.

E estar preparado para tudo isso leva tempo, dedicação e esforço.
Humildade, aprendizado contínuo e disposição para fazer o que for preciso também são desejáveis.

É importante que o dirigente espiritual entenda que seu trabalho ultrapassa o exercício de uma função.
É uma missão!

Lidar com pessoas requer paciência, gosto pelo outro. Não dá pra ser chefe, manda-chuva, impor apenas sua vontade.

Sua vida vai mudar, muitas serão as novas responsabilidades.

Mas se você estiver bem preparado, ser dirigente espiritual na Umbanda será algo muito recompensador!

Este e outros temas sobre como ser um sacerdote de Umbanda serão discutidos na Jornada Sacerdotal 2019. CLIQUE E SAIBA MAIS

Foto: Tolu Bamwo/Nappy