Tabaco – Dia 20 – Erveirança 5.0

Tabaco é a erva do dia. E já se passaram vinte dias da nossa Erveirança 5.0, ou seja, falta um mês para completarmos as cinquenta ervas propostas, e vamos caminhando falando um pouquinho de cada uma delas, com carinho e cuidado para não sermos taxativos ou arrogantes do alto do nosso degrauzinho de conhecimento.

Dia 20 – Erva 20

Tabaco (Fumo) – Nicotiana tabacum L.

E já se passaram vinte dias da nossa Erveirança 5.0, ou seja, falta um mês para completarmos as cinquenta ervas propostas, e vamos caminhando falando um pouquinho de cada uma delas, com carinho e cuidado para não sermos taxativos ou arrogantes do alto do nosso degrauzinho de conhecimento.

Observo com carinho cada reação, curtida ou comentário, e se não consigo responder a todos, saibam que agradeço de muito coração. Podemos acrescentar ao nosso conjunto de conhecimento o livro Rituais com Ervas – Banhos, Defumações e Benzimentos, e também nesse momento de restrição social, no Umbanda EAD.

Nossa erva de hoje é o Tabaco, ou Fumo, como é popularmente conhecido.

O uso do Tabaco como planta de poder, ritualístico e religioso, remonta nossa história de descoberta das Américas. Foi aqui encontrada e levada para a Europa e África e disseminada no mundo todo da forma que conhecemos. Quando “Colombos e Cabrais” aportaram nas nossas Américas, encontraram um povo nativo ancestral que já pitava seu tabaco, social, recreativo e sagrado-religioso.

Temos alguns poucos tipos dessa folha que se destacam mais pela forma com que são beneficiados, ou seja, como são colhidos, secos, fermentados ou curados, e preparados para serem consumidos na forma de fumo em cigarros, cachimbos e rapés de uso comercial.

Os tipos de tabaco prontos para consumo mais conhecidos são o Virginia, de coloração física mais clara que vai do amarelo-dourado ao laranja-escuro, e que são os mais suaves com maturação mais rápida e mais usados na indústria fumageira; e a qualidade Burley que vai do marrom-claro ao escuro, maturação lenta e sabor mais acentuado, mais forte.

Aqui no Brasil temos as diversas regiões produtoras dos seus fumos de rolo ou corda como também são chamados – Arapiraca (AL), Poço Fundo e outros mineiros, e Sobradinho (RS) com sua diversidade incrível de fumos crioulos (esses os meus preferidos), entre tantos outros.

Tabaco - Dia 20 - Erveirança 5.0 2
Folhas secas de tabaco

Como sempre, vale lembrar que temos a responsabilidade de trazer conhecimento simples e BENÉFICO a todos, e assim como fizemos com o Comigo-Ninguém-Pode, não recomendamos nenhum tipo de uso que possa colocar em risco a saúde e integridade de ninguém. Então, se alguém usa a erva da forma contrária a que recomendamos é uma questão de escolha e consequência pessoal… o que é bom para mim mas prejudica o outro, não pode ser bom para mim. Que cada um encontre a SUA verdade!

Aqui não fazemos apologia à prática tabagista, que é viciante por definição e prejudicial à saúde, enfraquecendo o sistema respiratório e favorecendo o desenvolvimento de tumores malignos pelo seu uso contínuo, comprovados estatisticamente. Outra coisa importante: Fumo é tudo o que se fuma.

A Umbanda e os espíritos luminosos que a sustentam não fazem uso de substancias psicotrópicas ilegais para seu trabalho. O respeito a todo ser vivo, principalmente o indefeso, inclui a saúde e a integridade moral do corpo mediúnico.

Para nós, no uso ritualístico e religioso, o Tabaco é poderosa erva QUENTE OU AGRESSIVA, de espectro energético que vai do branco-esverdeado ao verde-escuro, associando-a aos Pais Oxóssi e Oxalá e tradicionalmente manipulada (com excelência) por Exu. Imprescindível nos processos litúrgicos, nas diversas religiões da natureza, nos xamanismos e centenas de práticas indígenas impossíveis de serem catalogadas aqui.

Nos Candomblés, é fundamental nas feituras de alguns Orixás, variando a nação correspondente. Na Umbanda, seu uso entra na própria presença do Preto-Velho e seu cachimbo, nos charutos de Caboclos, Exus e outras entidades, e cigarros de palha de forma genérica. Usado também na fundamentação de vibrações à Esquerda e para lavagem dos seus assentamentos e ferramentas.

É um profilático do astral, e seu uso dentro desse contexto religioso (fumado) remete a isso, limpar, proteger, dissolver larvas e miasmas nos corpos espirituais mais externos. Tanto que não o vemos como uso viciante, mas como uso ritualístico mesmo.

Um médium incorporado com uma entidade espiritual que esteja usando um cigarro de palha, por exemplo, não irá “tragar”, ou engolir essa fumaça para satisfazer o vício de fumar, mas tão somente puxar a fumaça e baforar com ela, como uma projeção limpadora, e também protetora do médium contra alguns ataques sutis que podem acontecer durante os atendimentos espirituais.

Nos banhos e defumações, vamos encontrá-lo como verdadeiro profilático e cicatrizador de corpos espirituais adoentados, para espíritos encarnados ou não. Essa capacidade cicatrizadora também é observada no conhecimento terapêutico popular. Poderoso cauterizador de feridas astrais, curando também espíritos doentes cuja energia é usada para transferir sintomas de doenças para suas vitimas.

Usa-se um pedaço de fumo de corda ao entrar na mata, como oferenda aos seres guardiões da natureza vegetal, pedindo licença e proteção para entrar e sair em segurança. Deixado na terra, no pé de uma árvore à esquerda de quem entra, junto com um punhado de farinha de milho ou mandioca, ou simplesmente sozinho.

Assim como comentado no texto sobre o Peregun Roxo, para os doentes impossibilitados de andar e tomar seus banhos padrão, as folhas de Tabaco podem ser colocada sob os pés. Coloque a pessoa sentada em uma cadeira ou à beira da cama, ou mesmo deitada com as folhas atadas nas solas.

Uma folha de fumo embaixo de cada um dos pés, faça a reza de ativação Pedindo a Deus Pai Criador, Mãe Natureza, seu Poder Divino e Forças Naturais, que enviem a purificação de todos os males e a cura mais adequada para aquela pessoa, e mais saúde, esperança e fé para que se recupere o quanto antes. Além de pedir a ajuda necessária aos médicos da matéria para que encontrem caminhos para sua recuperação.

Eis o Tabaco-Fumo, e como sempre eu queria escrever mais e mais sobre essa maravilha da natureza! Mas teremos outras oportunidades…

Que tal falarmos dos “preparos de fumo” e rituais de conexão? Um texto somente sobre as combinações! Uhu, me animei!

Gratidão ao Pai Criador e Mãe Natureza pela permissão de trocar um cadinho de saber sobre as plantinhas do mato!

Vamos em frente! Gratidão imensa, ainda e sempre!