Picão Preto – Dia 42 – Erveirança 5.0

Picão Preto é a nossa 42ª erva desta série!

Faltando uma semana para completarmos nossa Erveirança, eu estou preparando algumas surpresas que vão tornar esse caminho ainda mais especial. E estou bem animado porque vou conversar ao vivo com duas amigas queridas, herboristas do Viveiro Sabor de Fazenda, a Sabrina e a Silvia Jeha.

Fique atento que, em breve, eu divulgo os detalhes!

Dia 42 – Erva 42

Picão Preto – Bidens pilosa L.

Há um bom tempo atrás, quando a brincadeira era na rua ou nos terrenos baldios, antes de construírem tantos prédios, era comum as crianças chegarem em casa com as roupas cheias de Picão Preto grudados.

Lembro minha mãe me fazia tirar todos da roupa antes de colocar para lavar, depois de um dia de diversão nas beiradas de mato que tinha na vizinhança de onde morávamos.

Ah! Bons tempos de criança, tempos que tinham coisas boas de lembrar como essa e outras não tão boas, assim como todos os tempos foram e serão.

De nostalgia a gente faz causos e, hoje, brinco de grudar Picão Preto na roupa e no cabelo da netinha, que sim, prefere o celular e os diversos entretenimentos da internet, mas não dispensa o jardim do vovô, balança pendurada na goiabeira e catar minhoca e tatuzinho na mão!

A forma com que essa plantinha passa despercebida na beirada do mato, ou por entre as hortaliças, garantiu sua sobrevivência desde sempre. Grudando em quem passasse, roupas ou pelos, ia se espalhando e surgindo aqui e ali.

Quem diria que o Picão ainda seria considerado alimento?

Além das inúmeras funções na medicina caseira, desde diuréticos até os banhos em bebês para debelar a icterícia, dos povos indígenas da Amazônia até os campos de pecuária, divisa do Sul do país, quem diria que olharíamos para o Picão e veríamos uma poderosa erva ritualística?

A natureza nos surpreende com sua simplicidade e o Picão Preto é um expoente desse exemplo. Cem gramas das suas folhas frescas, bem lavadas, fervidas em um litro de água, coadas e batidas em liquidificador com o suco de dois limões e gelo resulta num refresco funcional incrível e saboroso.

É uma PANC – Planta Alimentícia Não-Convencional, e pode ser até refogado em alho e cebola assim como a couve.

Para nós, nos critérios de uso religioso e ritualístico, em banhos e defumações, usamos todas as suas partes, folhas, flores, sementinhas e caules.

É uma poderosa erva QUENTE ou AGRESSIVA, mas de característica leve, carinhosa no ato de limpar, não provocando muito impacto reativo. Um verdadeiro “detox”, um desintoxicante dos corpos espirituais, dos eixos energéticos, da alma mesmo.

Com o passar do tempo e a rotina de trabalhos espirituais, nossos corpos etéricos vão acumulando cargas de magnetismo negativo que começam como uma simples poeira e vão se condensando até virarem verdadeiros cascões. Não necessariamente provocadas por agentes inteligentes mas pela natureza energética e magnética de nós seres humanos mesmo.

Tenha no Picão fresco ou seco, nos jardins ou no comércio de ervas secas, um aliado para essa limpeza periódica.

De tempos em tempos, acrescente-o aos seus banhos e verão seu poder discreto e eficaz! Um poderoso detergente astralino, desobstruidor dos condutores energéticos e dos chacras. Sua cor energética puxada no verde-terroso a coloca nas vibrações de Pai Xangô e Mães Obá e Oxum.

Dependendo da região pode ser chamado pelo seus nomes populares: Picão roxo, Picão-preto, Pico-Pico, Carrapicho, Erva-Picão, Picão do Campo, entre outros.

Esse é o nosso Picão, e que ele possa nos emprestar sua leveza e disponibilidade e nos sirva de exemplo de simplicidade e eficácia!

Gratidão por serem quem são e estarem onde estão! Estamos na reta final mas ainda há ervas importantes para conhecermos antes de terminar!