Novela Segundo Sol causa polêmica e revolta

A novela Segundo Sol não para de causar polêmica na Globo.
Aliás, desta vez a trama de João Emanuel Carneiro se indispôs com os umbandistas.

De fato, o motivo foi o capítulo do dia 10 de setembro, quando a personagem Laureta (Adriana Esteves) apareceu fazendo um ritual duvidoso.

De tal forma que ela acendeu velas, fez oferendas e pediu ajuda aos Orixás para continuar com suas maldades.
Assim, deu a entender que as religiões que cultuam Orixás fossem vistas com maus olhos pelo público brasileiro.

“A cena mostrou uma falta de entendimento por parte do autor da novela sobre o que é de fato a umbanda”, alegam em uníssono as lideranças religiosas.

“Esse tipo de construção cenográfica só serve para ofender”, explicou o cientista da religião Alexandre Cumino, sacerdote umbandista e autor dos livros sobre a Umbanda.

“Já existe um preconceito, uma intolerância contra quem faz parte da religião, do Candomblé, quem vai ao Terreiro.

Assim, o que prevalece é a ignorância. As pessoas com quem conversei se sentiram agredidas, estão muito indignadas”, lamenta Cumino.

Certamente, ele também alerta contra a generalização:

“Não tenho nenhuma intenção de demonizar a emissora.
Pelo contrário: ela tem feito um trabalho de humanização da Umbanda.
Exibiu reportagens sobre os ataques que os Terreiros estavam sofrendo no Rio de Janeiro”, relata.

LEIA TAMBÉM  Polícia encerra cerimônia em Terreiro em MG por barulho

Novela Segundo Sol causa polêmica e revoltaApesar disso, a novela Segundo Sol conta com outro núcleo que aborda a crença.
Doralice (Roberta Rodrigues) e o Didico (João Acaiabe) no Terreiro do bairro, além de Groa (André Dias), representam este segmento.

No entanto, o personagem de João Acaiabe sumiu sem mais nem menos.

“Eu não posso usar elementos do Candomblé para isso [o ma].
Da mesma forma, nenhuma religião faz o mal.
Todas partem do preceito de que você nunca faz para o outro aquilo que não quer que seja feito para você”, explica o sacerdote.

Por outro lado, a Globo alega que a cena da novela Segundo Sol não faz referência à religião.

Em suma, veja o que a emissora respondeu ao site Notícias da TV:

“Laureta pede proteção aos astros, espíritos, Orixás… A todo o Além, sem se referir a nenhuma religião especificamente.
Além de ressaltar, como registramos ao final de cada capítulo, que novelas são obras de ficção, vale ainda destacar que Laureta é uma vilã.
Portanto, dona de várias atitudes reprováveis que só fazem sentido no contexto da dramaturgia”, explicou a emissora.

De fato, a Globo também demonstra ações positivas em sua grade.

Por exemplo, em abril deste ano, a novela Malhação mostrou o desejo de uma adolescente em se iniciar no Candomblé e a resistência sofrida por familiares e amigos.

Veja AQUI o se passou em Malhação

Assim, com a novela Segundo Sol, a Globo erra e presta um desserviço numa questão latente no Brasil: a intolerância.

LEIA TAMBÉM  Fantástico trata intolerância pelo viés da liberdade de expressão

O tema intolerância religiosa se tornou um dos mais falados no Brasil, chegando a ser tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2016.

Igualmente, dados da Secretaria Especial de Direitos Humanos apontou que o número de denúncias de intolerância motivada por questões ligadas à religião, sobretudo as de matrizes africanas, aumentou mais de três mil por cento no país.

Por fim, que a novela Segundo Sol errou, isso é evidente. Esperamos que a polêmica possa ao menos trazer luz e discussão ao tema.

Fontes: Notícias da TV e Catraca Livre

Fotos: TV Globo/Reprodução