Tranca Ruas: 5 fatos que você ainda não sabia

Tranca Ruas é uma das entidades mais queridas que se manifestam na Umbanda.

A saber, acompanhe 5 fatos que talvez você ainda não conheça:

1 – Tranca Ruas é pop

Sobretudo, é a linhagem de Exu mais conhecida na cultura e manifestações religiosas brasileiras.
Assim, junto dessa denominação, cada um desses guardiões também apresenta um “sobrenome”.
Por exemplo, sob a regência da falange Tranca Ruas, encontraremos Tranca Ruas das Almas, de Embaré, das Sete Encruzilhadas, das Porteiras dentre outras inúmeras nomenclaturas.

Portanto, todos esses nomes designam o campo de atuação e Orixás pelo qual aquele espírito é regido.

Da mesma maneira, Rodrigo Queiroz explica durante o estudo Tranca Ruas – O Senhor dos Caminhos, que só Tranca Ruas não existe.

Portanto, esse termo se refere ao trono maior que irá sustentar os trabalhadores que permeiam esse tipo de atuação.

A popularidade acontece em razão da abrangência que essa falange alcança.
Na maioria das vezes, os sobrenomes são pouco revelados aos médiuns.
Os nomes são simbólicos e definem origem ou essência e campo de atuação.
Todos os Tranca Ruas são essência em Ogum.
Então seu sobrenome definirá seu campo de atuação.
– Rodrigo Queiroz em Tranca Ruas – O Senhor dos Caminhos

2 – Exu à brasileira

Com efeito, nos cultos afro-brasileiros mais antigos era comum encontrar termos que se referiam as qualidades dos Orixás associados aos sobrenomes dos Exus.
Por exemplo, Exu Bará, Exu L’Ônan, dentre outros.

LEIA TAMBÉM  Incorporação não é possessão na religião de Umbanda

Então, a partir do século XIX surge dentro da macumba carioca e mais tarde nos Terreiros de Umbanda os ‘Tranca Ruas’.
Assim, Rodrigo Queiroz explica no estudo citado que esse Exu que veio no meio do caminho, entre o velho e o novo.
É o “filho do meio”, está em processo de transição.
Portanto, vêm em um contexto urbano e brasileiro.

Ele é legitimamente brasileiro.
Não se aceita essa história de que é um senhor, foi um rei, foi um cavalheiro.
Ele é um cara comum, que vem da rua mesmo e tem essa
particularidade dentro de alguns Terreiros.
– Rodrigo Queiroz em Tranca Ruas – O Senhor dos Caminhos

Além de brasileiro, Tranca Ruas também é por excelência um Exu de Umbanda.

Embora ele já se fizesse presente em outras denominações anteriores à Umbanda e até mesmo manifestado muito forte na Quimbanda fechada.
Dessa forma, se consolida, populariza e desenvolve seu trabalho com mais afinidade dentro do rito umbandista.

3 – Exu de Lei

A afirmativa de que esta é uma linhagem de Exu regida por Ogum se deu por meio dos estudos da interpretação de nomes dos Guias.
Destacando-se, nesse empenho, Mestre Rubens Saraceni que traz o entendimento dos verbos atuantes de cada nome e como eles definem os tronos, linhagens, falanges, agrupamentos, fatores, qualidades, campos de atuação dentre outras caraterísticas de Orixás e entidades presentes na Umbanda.

LEIA TAMBÉM  Jesus e Oxalá: entenda as semelhanças e diferenças

Tem o Senhor Tranca Ruas. O primeiro, a mente por trás da linhagem, ao qual chamamos na Umbanda Sagrada de trono. A força mental que sustenta todos os Tranca Ruas e que está ligado a Ogum na Criação Divina. Sua ancestralidade está em Ogum.
– Rodrigo Queiroz em Tranca Ruas – O Senhor dos Caminhos

Seu mistério é a fonte e origem da linhagem e falanges dos trabalhadores dessa força, sustentados por Ogum.
Os verbos presentes e frequentemente citados nos trabalhos desses Guias são os de trancar, abrir, encaminhar, cortar e etc.
Todos termos que quando pronunciados e intencionados acionam ações referentes à vibração de Ogum.

O fator pelo qual se dá a atuação do Orixá Ogum – 5ª Linha de Umbanda – é o da ordenação e Lei divina.
Assim, todos os Exus que respondem a este mistério são por excelência Guardiões da Lei.

Aliás, em uma interpretação do nome Tranca Ruas das Almas entendemos:

Tranca Ruas = sua essência é a da ordem e direcionamento (Ogum)
Das Almas = seu campo de atuação está no mistério da evolução (Obaluayê).

Portanto, é um Exu da Lei que atua direcionando e organizando o aspecto da evolução daquele ser.

Ele é a força de Ogum na Esquerda da Lei da Criação Divina.
Se manifesta nos desequilíbrios da Criação, naquilo que desordenou-se, no caos.
Tranca Ruas é isso em essência, enquanto força energética, princípio espiritual e fundamento original no plano da Criação.
– Rodrigo Queiroz em Tranca Ruas – O Senhor dos Caminhos

4 – Amplitude do mistério

Sendo a mais popular linhagem disseminada na religião, ou seja, o mistério mais aberto dentro desse segmento.
Também é a que mais agrega falanges conhecidas do Ritual de Umbanda.
Encontramos entre elas Tranca Ruas das Almas, de Embaré, das Porteiras, dos Caminhos, das 7 Encruzilhadas, do Cruzeiro, das Estradas, das Matas, das Luas, dentre outros.

LEIA TAMBÉM  Como se tornar um médium em desenvolvimento na Umbanda

5 – Tranca Ruas de branco

Por ser um mistério tão abrangente, a manifestação dos espíritos que trabalham sob essa égide também é muito diversa.
Dentro disso, essas entidades podem vir ao trabalho até mesmo vestidas de branco – o que não é usual da Esquerda.

Também podem utilizar elementos como cartola branca, vela preta e branca ou só branca.

Enfim tudo isso também é legítimo e se relaciona com a regência que cada um deles pertence.

QUER SABER MAIS? CONHEÇA O CURSO EXCLUSIVO NO UMBANDA EAD!

Texto: Júlia Pereira/Redação Umbanda EADTranca Ruas: 5 fatos que você ainda não sabia