Tranca Ruas: 5 fatos que você ainda não sabia

Tranca Ruas é uma das entidades mais queridas que se manifestam na Umbanda.

A saber, acompanhe 5 fatos que talvez você ainda não conheça:

1 – Tranca Ruas é pop

Sobretudo, é a linhagem de Exu mais conhecida na cultura e manifestações religiosas brasileiras.
Assim, junto dessa denominação, cada um desses guardiões também apresenta um “sobrenome”.
Por exemplo, sob a regência da falange Tranca Ruas, encontraremos Tranca Ruas das Almas, de Embaré, das Sete Encruzilhadas, das Porteiras dentre outras inúmeras nomenclaturas.

Portanto, todos esses nomes designam o campo de atuação e Orixás pelo qual aquele espírito é regido.

Da mesma maneira, Rodrigo Queiroz explica durante o estudo Tranca Ruas – O Senhor dos Caminhos, que só Tranca Ruas não existe.

Portanto, esse termo se refere ao trono maior que irá sustentar os trabalhadores que permeiam esse tipo de atuação.

A popularidade acontece em razão da abrangência que essa falange alcança.
Na maioria das vezes, os sobrenomes são pouco revelados aos médiuns.
Os nomes são simbólicos e definem origem ou essência e campo de atuação.
Todos os Tranca Ruas são essência em Ogum.
Então seu sobrenome definirá seu campo de atuação.
– Rodrigo Queiroz em Tranca Ruas – O Senhor dos Caminhos

2 – Exu à brasileira

Com efeito, nos cultos afro-brasileiros mais antigos era comum encontrar termos que se referiam as qualidades dos Orixás associados aos sobrenomes dos Exus.
Por exemplo, Exu Bará, Exu L’Ônan, dentre outros.

LEIA TAMBÉM  AUEESP e a 19ª Homenagem a Iemanjá 2018

Então, a partir do século XIX surge dentro da macumba carioca e mais tarde nos Terreiros de Umbanda os ‘Tranca Ruas’.
Assim, Rodrigo Queiroz explica no estudo citado que esse Exu que veio no meio do caminho, entre o velho e o novo.
É o “filho do meio”, está em processo de transição.
Portanto, vêm em um contexto urbano e brasileiro.

Ele é legitimamente brasileiro.
Não se aceita essa história de que é um senhor, foi um rei, foi um cavalheiro.
Ele é um cara comum, que vem da rua mesmo e tem essa
particularidade dentro de alguns Terreiros.
– Rodrigo Queiroz em Tranca Ruas – O Senhor dos Caminhos

Além de brasileiro, Tranca Ruas também é por excelência um Exu de Umbanda.

Embora ele já se fizesse presente em outras denominações anteriores à Umbanda e até mesmo manifestado muito forte na Quimbanda fechada.
Dessa forma, se consolida, populariza e desenvolve seu trabalho com mais afinidade dentro do rito umbandista.

3 – Exu de Lei

A afirmativa de que esta é uma linhagem de Exu regida por Ogum se deu por meio dos estudos da interpretação de nomes dos Guias.
Destacando-se, nesse empenho, Mestre Rubens Saraceni que traz o entendimento dos verbos atuantes de cada nome e como eles definem os tronos, linhagens, falanges, agrupamentos, fatores, qualidades, campos de atuação dentre outras caraterísticas de Orixás e entidades presentes na Umbanda.

LEIA TAMBÉM  Todo Pai de Santo é viado? E aí?

Tem o Senhor Tranca Ruas. O primeiro, a mente por trás da linhagem, ao qual chamamos na Umbanda Sagrada de trono. A força mental que sustenta todos os Tranca Ruas e que está ligado a Ogum na Criação Divina. Sua ancestralidade está em Ogum.
– Rodrigo Queiroz em Tranca Ruas – O Senhor dos Caminhos

Seu mistério é a fonte e origem da linhagem e falanges dos trabalhadores dessa força, sustentados por Ogum.
Os verbos presentes e frequentemente citados nos trabalhos desses Guias são os de trancar, abrir, encaminhar, cortar e etc.
Todos termos que quando pronunciados e intencionados acionam ações referentes à vibração de Ogum.

O fator pelo qual se dá a atuação do Orixá Ogum – 5ª Linha de Umbanda – é o da ordenação e Lei divina.
Assim, todos os Exus que respondem a este mistério são por excelência Guardiões da Lei.

Aliás, em uma interpretação do nome Tranca Ruas das Almas entendemos:

Tranca Ruas = sua essência é a da ordem e direcionamento (Ogum)
Das Almas = seu campo de atuação está no mistério da evolução (Obaluayê).

Portanto, é um Exu da Lei que atua direcionando e organizando o aspecto da evolução daquele ser.

Ele é a força de Ogum na Esquerda da Lei da Criação Divina.
Se manifesta nos desequilíbrios da Criação, naquilo que desordenou-se, no caos.
Tranca Ruas é isso em essência, enquanto força energética, princípio espiritual e fundamento original no plano da Criação.
– Rodrigo Queiroz em Tranca Ruas – O Senhor dos Caminhos

4 – Amplitude do mistério

Sendo a mais popular linhagem disseminada na religião, ou seja, o mistério mais aberto dentro desse segmento.
Também é a que mais agrega falanges conhecidas do Ritual de Umbanda.
Encontramos entre elas Tranca Ruas das Almas, de Embaré, das Porteiras, dos Caminhos, das 7 Encruzilhadas, do Cruzeiro, das Estradas, das Matas, das Luas, dentre outros.

LEIA TAMBÉM  Cor Ano Novo 2019: saiba qual com seu aniversário

5 – Tranca Ruas de branco

Por ser um mistério tão abrangente, a manifestação dos espíritos que trabalham sob essa égide também é muito diversa.
Dentro disso, essas entidades podem vir ao trabalho até mesmo vestidas de branco – o que não é usual da Esquerda.

Também podem utilizar elementos como cartola branca, vela preta e branca ou só branca.

Enfim tudo isso também é legítimo e se relaciona com a regência que cada um deles pertence.

QUER SABER MAIS? CONHEÇA O CURSO EXCLUSIVO NO UMBANDA EAD!

Texto: Júlia Pereira/Redação Umbanda EADTranca Ruas: 5 fatos que você ainda não sabia