Como se vestir para ir ao Terreiro de Umbanda?

Esta é uma questão que muitos não julgam importante, mas a prática de Terreiro tem mostrado o contrário. Afinal, como se vestir para ir ao Terreiro?

Vamos começar com uma comparação. Nossos irmãos e irmãs católicos, tradicionalmente, sempre consideraram as missas (sobretudo as de domingo) como um dos eventos mais importantes da semana. Mais do que obrigação, é comum encontrarmos relatos carinhosos e respeitosos sobre “o dia da missa”, o que, invariavelmente, fazia com que reservassem suas melhores roupas para estas ocasiões. Afinal, não é todo dia que você adentra a “Casa de Deus”, não é mesmo?

E na Umbanda? Como se vestir para ir ao Terreiro?

Os princípios são os mesmos. O Terreiro de Umbanda também é solo sagrado, é a casa de Deus (Olorum) e de todos os Orixás e Guias. Devemos respeito a todos eles e, antes de comparecermos a uma Gira devemos nos preparar, o que implica em cumprir um código mínimo de conduta e vestimenta.

Falamos de princípios, certo? E o primeiro deles é o respeito. Respeito à religião de Umbanda, à Casa, aos médiuns e a todos os irmãos e irmãs com quem divideremos um mesmo espaço num determinado tempo. Além de todas as regras de boa convivência em grupo, devemos usar trajes apropriados para que não fique embaraçoso nem para você nem para as pessoas que estão ao seu redor a sua simples presença.

como se vestir
Principais trajes a serem evitados

Como efeito de comparação, até mesmo as nossas tribos indígenas possuem uma espécie de código de vestimenta, uma forma de como se vestir. O clima tropical e a cultura de boa parte dos povos indígenas brasileiros geraram um comportamento comum: boa parte deles andam nus ou seminus dentro de suas tribos, entre os seus. Porém, eles também respeitam um código de conduta interno ao visitar outros locais fora da tribo, vestindo-se para não causar nenhum tipo de constrangimento aos demais, aos “externos”.

O exemplo é extremo, mas mostra claramente que o respeito deve ser um norte nestas situações.

Então, não fique chateado (a) ou triste quando o Pai ou Mãe de Santo lhe falar que você não pode entrar ou se consultar com os Guias porque está com um short muito curto, está de regata ou com um decote muito profundo, por exemplo. Como dirigentes de Terreiro, os Pais e Mães de Santo devem zelar por um ambiente respeitoso e confortável a todos. E eles (as) tem sim autoridade para orientar como se deve agir dentro da sua Casa. Ali não é lugar para expor seu corpo e sim para expor somente sua fé.

Voltando aos princípios, outro que vale a pena relembrar aqui é a igualdade. Se todos somos irmãos, se todos são atendidos pelos médiuns incorporados (em geral organizam-se distribuição de senhas para os atendimentos), se todos são tratados com o mesmo carinho e atenção, independentemente se são homens, mulheres, transgêneros ou crianças, porque então não respeitarmos um código comum de vestimenta que equalize esta questão para todos? Parece ser uma boa decisão, não é mesmo?

O dia em que você vai entrar em contato com o espiritual e adentrar a uma Casa de Fé, de Santo, Terreiro, Templo ou Igreja, independentemente da religião, é preciso de alguns cuidados quanto a tipo de roupas e até de cores.

Roupas escuras, curtas, decotadas, justas, shorts e bermudas não cabem a um dia de louvação ao sagrado nem para homens e nem para as mulheres.

Há locais muito quentes no Brasil, todos entendem isso. Bermudas e decotes, nestes casos, são quase inevitáveis. Neste caso, o bom senso deve imperar. Que tal usar uma bermuda um pouco mais comprida, na altura do joelho ou até um pouco mais longa? Para as mulheres que querem usar decote ou blusinha mais cavada, que tal lembrar-se de levar um lenço para cobrir o colo no momento do atendimento junto aos Guias? E as camisas de alça ou sem mangas para homens? Que tal neste dia específico de ir ao Terreiro abrir uma exceção e vestir uma camiseta ou camisa tradicional?

Roupas justas demais é um outro fator a ser evitado. Quanto ao uso de cores, não há unanimidade nos Terreiros. Há Casas que pedem para que os umbandistas evitem usar preto e até vermelho em dias de Giras de Direita, reservando estas cores apenas para as Giras de Esquerda. Mas isso varia de Terreiro para Terreiro.

Na dúvida, consulte sempre seu Pai ou Mãe de Santo. E se você é dirigente de Umbanda, coloque estes avisos sobre como se vestir em sua pauta obrigatória para todas as preleções. E se quiser, faça um cartaz e afixe próximo à entrada da Casa. Comunicar nunca é demais.

Por fim, é importante lembrar que o ambiente de Terreiro não deve nunca ser palca para vaidades. Espaço sagrado é para conexão com o divino, casa de fé e amor ao próximo.