Casca de Alho e Cebola – Dia 6 – Erveirança 5.0

Casca de Alho e Cebola juntas neste sexto dia de Erveirança! Hoje temos um bônus e vamos falar dessas duas “ervas” juntinhas.

Lembrando que estou em contagem regressiva para meu aniversário de 50 anos. E a melhor maneira de celebrar é fazendo uma grande Erveirança: serão 50 ervas em 50 dias. Faltam 46 dias. Vamos lá?

Dia 6 – Erva 6

Casca de Alho – Allium sativum L. e Casca de Cebola – Allium cepa L

Coloquei ervas entre aspas para frisar que assim chamamos fruto, flor, folha, raiz ou casca, de forma livre para nosso uso ritualístico e magístico. E, apesar dessa minha forma livre, isso não significa que este conhecimento é baseado em achismos populares ou receitas milagrosas captadas sem critério na internet.

Tudo isso é resultado de anos de trabalho como explico no livro Rituais com Ervas – Banhos, Defumações e Benzimentos (que pode ser adquirido em diversos canais online – não se esqueça que pirataria é ilegal!).

Mas vamos ao que interessa porque eu sou geminiano e quero falar bastante!

Essas duas irmãzinhas de origem oriental, Alho e Cebola (ou casca de alho e casca de cebola) são da mesma família botânica e estão presentes (especialmente o Alho) no nosso mundo místico desde sempre, desde que o mundo era pequenininho.

Arma poderosa contra os mitológicos vampiros, ficou conhecido pelo trabalho de Bram Stoker, no romance mundialmente conhecido como Drácula e suas dezenas de versões e inspirações para o cinema.

Mas de onde vem esse mito de que o Alho espanta o mal?

Não há registro assertivo desse tempo, mas é sabido que entre os egípcios, “cheirar” a alho e à cebola era característica dos pobres, pois estes comiam e carregavam consigo para se prevenir de doenças.

Assim como os navegadores e a população portuária do Oriente; na Índia, era rejeitado pelos brâmanes pois inflamava as paixões.

Aroma irritante do Alho (casca de Alho) e lacrimejante da Cebola, pouco agradáveis e nada românticos, seus perfumes únicos e sua presença afastam os maus-olhados, inveja e perseguições por maus espíritos sugadores de energias (vampiros energéticos em geral).

Com algumas poucas exceções, usamos apenas as Cascas do Alho e da Cebola, que são mais do que suficientes para o que precisamos e excelentes para o que se propõe: anular ligações negativas.

Em banhos e defumações usamos apenas as cascas, pela facilidade e disponibilidade. Já os frutos, inviáveis pelo aroma muito forte, reservamos ao uso culinário.

Quando eu era criança, tinha saúde frágil e sempre carente de cuidados mais próximos. Eu me lembro que minha mãe às vezes fazia “colar de Alho” para mim.

Isso mesmo, linha ou barbante vermelho com dentes de alho amarrados, fazendo um colar, que não podia ser tirado de jeito nenhum. Eu não me lembro por quanto tempo tinha que ficar, se era até quebrar sozinho ou por sete ou 21 dias. Mas lembro do cheiro e que aquilo chamava a atenção, principalmente quando as outras crianças perguntavam por que eu usava aquilo.

Outra situação comum naquela época: toda casa de benzedeira tinha uma réstia de Alho pendurada na cozinha ou atrás da porta.
Elemento simbólico e poderoso de proteção contra ataques do baixo astral.

No nosso trabalho com as ervas, classificamos Alho e Cebola como QUENTES ou AGRESSIVAS, capazes de anular e dissolver acúmulos negativos e principalmente repelir investidas dos planos inferiores.

Um poderoso ácido do astral, capaz de corroer proteções, couraças e outros elementos usados para esconder magias negativas, revelando-as e consumindo-as.

Também proporciona a libertação energética em casos de vampirismo e obsessões intensas, magias densas com uso de elementos animais. Verdadeiros desintoxicadores de espíritos que passaram por situações enfermiças.

Com suas cores energéticas que vão do branco leitoso aos pulsos de violeta, é um verdadeiro profilático para o espírito como curador de parasitas astrais. Podemos associá-los entre outros, aos Orixás Oxalá, Logunan, Obaluaiyê e Omulu. Entra também nas oferendas às linhas de Esquerda.

As duas ervas, Alho e Cebola e suas cascas têm vibração muito parecida, e podem ser usadas juntas ou separadas. Podem ser brancas ou roxas, variando de acordo com a região de origem, mas todos, todos mesmo, podem ser usados com essas funções.

Em dias de quarentena, que tal uma defumação com uma dessas ervas?