Início Matérias Textos A Umbanda libertadora: entenda o que é isso

A Umbanda libertadora: entenda o que é isso

-

A Umbanda libertadora assim será se assim a fizermos.

Pois cada religião tem seu jeito de ser, que vai sendo definido, redesenhado e amoldado com o passar dos tempos e das suas próprias experiências.
Por sua vez, levam a um conjunto de conhecimento que a define em cada momento da sua existência.

Assim, as pessoas que compõem uma religião, pois afinal uma religião é feita por pessoas que assimilaram seus ideais, que foram arquitetados e desenhados por alguma outra pessoa, enfim, esse coletivo vai adaptando suas práticas de acordo com a necessidade e oportunidade.

Ou seja, o momento religioso, consciencial, social e político que assim exige.

A Umbanda passou e passa por esses momentos.

Desde seu anúncio por Pai Caboclo das Sete Encruzilhadas através do seu médium, nosso saudoso Pai Zélio de Moraes, quantas mudanças vemos…

Certamente que saímos dos fundos de nossas casas e encaramos o assunto “mediunidade consciente” de forma franca
Da mesma forma, nos assumimos como religião que verdadeiramente somos; assumimos as nossas vertentes e o surgimento de autores, psicógrafos diretos ou indiretos, que falam sobre os mistérios da Umbanda, coisas antes inaceitáveis.

Por fim, entendemos que estudar é importante, mas manter a confiança nos valores passados pelos nossos guias é vital.

A saber, há muito mais que poderíamos encher nessas páginas.

E a natureza do ser humano é o bem.

Difícil de entender?

Sim, pode parecer, mas devemos lembrar que a Umbanda é religião e, como todas as outras religiões, é um caminho que leva a Deus através dos seus métodos e formas.

É essa a função das religiões: levarem a Deus, ou por essa linha de pensamento, levar a uma consciência tal que nos sintamos integrados ao Divino.

LEIA TAMBÉM  Música sacra afro-brasileira e os evangélicos

A Umbanda libertadora, na sua essência, é religião de pessoas livres, pensantes, formadoras de suas próprias opiniões.

Por conseqüência, nos faz pensar e desenvolver cada vez mais consciência.

LEIA TAMBÉM  Linha das Crianças na Umbanda e suas características

Então a tão falada “evolução” poderia de uma forma bem simples, talvez simplista mesmo, ser definida como o desenvolvimento da consciência.

Aliás, consciência de que não estamos sozinhos; de que há “algo maior”; da mediunidade; das experiências que levam ao conhecimento e à sabedoria; do exemplo que a espiritualidade (nossos amados Guias) nos transmitem o tempo todo; de que o conhecimento é libertador!

Assim, em um verdadeiro Terreiro de Umbanda você nunca verá um Guia, qualquer que seja, Caboclo, Preto Velho, Criança, Exu, Pombagira, Mirins, enfim, nunca verá nenhum deles falando mal de outro, ou de outra casa, ou de outra religião.

Com certeza orientarão para o melhor caminho, sem denegrir nada nem ninguém.

Nunca verá personalismo, ou seja, o Guia falando que ele é o cara, se identificando fora da sua falange e que os outros são menores que ele.
Ou dando desculpas que algo não deu certo porque a culpa é de outro Guia.

Além disso, se você presenciar isso em algum Terreiro, fuja.
Pois há mais de relação humana e mentes desfocadas do amor caridade do que espiritualidade verdadeira.

Ademais, use o bom senso, isso também é um estado de consciência!

Ora, quer mais exemplo de consciência que isso? De uma Umbanda libertadora?

Então, como poderíamos colocar isso em prática no dia a dia para melhorarmos a nossa própria vida e por conseqüência a vida à nossa volta?

LEIA TAMBÉM  Crianças, Caboclos e Pretos Velhos: muito além da Umbanda

Eu sugiro que cada um olhe com coragem e cuidado para si mesmo.
Dessa forma, compreenda onde precisa melhorar e assuma seu próprio caminho evolutivo.

Tenha na religião uma ferramenta, um caminho oferecido pela Consciência Suprema, pelo Divino Criador e Sua Natureza.
E sirva-se do que ela (a religião) pode oferecer.

Mas eu deveria estar aqui falando de Ervas na Umbanda, certo?

Certíssimo, e estou!

Pois imagine como ficarão seus banhos e defumações, seus benzimentos e trabalhos com os elementos da natureza quando você sentir que é parte dessa natureza e tiver consciência disso!

LEIA TAMBÉM  Velho Meji e sua história: consciência não tem cor

Assim, você entenderá que os elementos não são apenas elementos, são organismos vitais, capazes de nos sintonizar com as virtudes.
Pois, afinal, tudo parte Dele e de Sua Natureza!

Antes de mais nada, uma erva não é só um formato, uma cor, um cheiro… é muito mais!

Estudar é preciso, alimentar o espírito com conhecimento é vital!

O conhecimento é libertador e evita que sejamos envolvidos pelas tramas da ilusão acorrentadora.
O conhecimento não é confortável, é perturbador, chacoalha a alma e leva ao questionamento e à experiência.

Dessa forma, a experiência, boa ou não, leva à sabedoria.
A sabedoria nos coloca num estado de consciência libertador.

Portanto, que as Virtudes de Nosso Amado Pai Criador, expressas na natureza dos Nossos Pais e Mães Orixás, possam nos abençoar da forma que compreendemos: Fé, Amor, Conhecimento, Razão, Ordem, Sabedoria e Vida!

Que toda essa Natureza nos abençoe!

Que a Umbanda libertadora seja nosso apoio sempre!

Que assim seja e assim será!

Gratidão imensa, ainda e sempre!


A Umbanda libertadora: entenda o que é isso 1