Café – Dia 36 – Erveirança 5.0

E para homenagear os Pretos Velhos na Umbanda, nossa Erveirança continua com um cafezinho! Ah, não tem como não lembrar de Vovós e Vovôs, não é?

Adorei as Almas! As Almas adorei! Saravá Pretos Velhos!

A Benção, Santas Almas! Amém!

Dia 36 – Erva 36

Café – Cafeeiro – Coffea sp.

Talvez a história da humanidade tivesse um rumo diferente se não existisse o café!

Essa afirmação, exagerada é claro, ilustra a ideia do efeito transformador dessa plantinha de origem espontânea na Etiópia e disseminada no mundo todo desde Marco Polo e os Árabes, primeiros cultivadores e preparadores do café que o monopolizaram enquanto puderam.

O Cafeeiro é o pé-de-café. A origem desse nome designa o (efeito do) fruto e vem do árabe Kahoua ou Qahwa, que significa o excitante. O Brasil é um dos maiores, senão o maior produtor de café no mundo, e o segundo maior consumidor, perdendo apenas para os Estados Unidos.

Há uma lenda que conta que ele foi descoberto por um pastor de ovelhas, que as viu comendo as frutinhas e percebeu que tinham disposição de sobra pra caminhar um dia inteiro. Um monge resolveu experimentá-la e descobriu uma bebida que os deixava acordados durante as longas rezas.

Outra lenda, que não sabemos se é verídica, é que a jovem “Joanne” escrevia os originais de Harry Potter em uma cafeteria… enfim, o que seria do nosso mundo sem o café? Nesse momento, escrevendo sobre ele, tenho uma caneca bem cheirosa à minha frente! Deu vontade? Pega lá a sua também!

Santo café, santa cafeína diária que acorda e diz para o corpo que o dia já começou!

Mas aqui o que nos interessa desse lindo arbusto é tudo o que pode nos oferecer para o uso ritualístico e religioso!

Sem entrar no mérito dos líquidos e bebidas nas oferendas, colocar uma canequinha com esta bebida e uma vela branca ou bicolor aos pés das imagens de Pretos Velhos é condensar vibrações de firmeza de propósito dentro de casa, paz, tranquilidade, paciência e harmonia para a família.

Os próprios grãos inteiros, in natura ou já torrados, podem participar de oferendas a Pais Oxóssi e Oxalá e linhas de trabalho.

Uma colher de pó de café misturado com uma colher de açúcar, pode ser “polvilhado” nos cantos de um imóvel à venda ou disponível para locação para melhorar o magnetismo. Ah, eu já recomendei isso para vender carro também…rs… Deve-se tomar cuidado pois açúcar = formiga, bom não precisa nem dizer né?

Energia de terra, masculina, pé no chão, bastante equilibradora e racionalizadora. Por isso, mesmo atribui-se a ela a capacidade de atrair prosperidade. Sem razão, agindo-se apenas pela emoção, não há prosperidade que aguente.

Em nosso sistema de classificação de ervas, identificamos como MORNA ou EQUILIBRADORA. Vibrações de Pais Oxalá, Oxóssi e Xangô, e muito discretamente a presença de vida de Mãe Iemanjá.

Seu campo de energia e magnetismo é diretamente proporcional à vibração “da matéria”, portanto associado a esse astral masculino e a vibração de prosperidade. A defumação com folhas de café é excelente para casas comerciais. E em lugares onde não é possível defumar, podemos espalhar as folhas pelo chão e deixá-las até o dia seguinte imantando o ambiente.

Exerce limpeza astral leve e auxilia na firmeza de propósito, sendo recomendado seu uso antes de estudos profundos e dedicados.

Por exemplo, antes de “virar” a noite estudando ou preparando um trabalho complexo que exija atenção e dedicação, um bom banho com folhas de Café é bem vindo. Indicada também para o “pontapé inicial” de alguma tarefa ou negócio, como erva protetora e incentivadora desse começo.

Gratidão imensa, ainda e sempre!