Anis estrelado – Dia 5 – Erveirança 5.0

Anis estrelado é a nossa quinta erva desta série.

E na nossa contagem até meu aniversário de 50 anos, faltam mais 46 dias. Vamos em frente com nossa Erveirança 5.0 – 50 ervas em 50 dias! Vamos lá!!

Dia 5 – Erva 5

Anis Estrelado – Illicium verum Hook. Fil.

Aqui não fazemos um tratado botânico, então eu posso, de uma forma livre, chamar frutos, flores, folhas, caules e raízes simplesmente de “erva”.

E essa erva-fruto, de cor marrom castanho, em formato de estrela de cinco a oito pontas, sementes redondas ovaladas, alojadas num pequeno recipiente em forma de barco em cada uma dessas pontinhas, nos convida a um olhar mais atento que pode provocar sensações únicas.

Feche os olhos e apanhe em cada uma das mãos um tanto de Anis-estrelado. Feche as mãos e perceba… simplesmente sinta. São duras, firmes, de certa forma até grosseiras. Não precisa fazer isso, mas se apertar as mãos, chega a machucar os dedos.

Agora, com tranquilidade, leve as mãos à altura do rosto e sinta o perfume. Sinta seu aroma forte, adocicado e picante ao mesmo tempo, incompatíveis com sua robustez tateável.

Esse sugestivo paradoxo é uma brincadeira de percepção com essa famosa chinezinha que tem lugar garantido entre as especiarias mais usadas no mundo.

Desde aromatizar bebidas até a compor pratos exóticos na Ásia, o Anis-estrelado ou Anis-da-china como também é chamado, substitui a Erva-doce por ter sabor bem semelhante.

Aliás, a erva-doce também pode ser chamada de Anis, e há um tipo de Manjericão (Alfavaca) que chamamos de Aniseto, mas isso é assunto para outro capítulo desta série…

Outro nome atribuído pelos franceses a esse pequeno fruto é “Badiana”, e carregá-lo consigo como amuleto pode trazer sorte ao seu portador.

Cogita-se que seu nome em latim, Illicium, deriva de allure, allurement – encantamento, fascinação, e até tentação.

Para nós, no uso magístico e religioso, essa poderosa erva classificada no nosso sistema como MORNA ou EQUILIBRADORA, trata do chacra coronal ou coroa e das conexões com o lado imaterial da vida, sendo interessantíssimo para os cuidados da mediunidade.

Fortalecedora das conexões espirituais, clareia nossa ligação com os bons espíritos afrouxando nosso envolvimento com o lado racional e facilitando a compreensão dos sentidos intangíveis da vida, percepção, intuição, inspiração.

Importante lembrar que, assim como todas as ervas que atribuímos funções para mediunidade, nenhuma lhe dará capacidade extra sensorial além das conquistadas pelo seu próprio espírito.

Portanto, nada de achar que tal erva abre a vidência ou torna alguém médium. Elas simplesmente ajudam a compreensão do dom que o Criador lhe permitiu nessa experiência humana na matéria.

Seu magnetismo de tranquilidade proporciona bem estar, paz e calma, tão necessários para as tarefas entre o lado atômico e o etérico.

Seu gradiente de cores energéticas vai do branco cristalino até o azulado, contrapondo com sua cor física, por isso associado aos Orixás Oxalá e Iemanjá, entre outros com menor intensidade.

Seu uso nos banhos transfere essas cores incríveis desde o alto da cabeça até os corpos espirituais, conferindo capacidade de equilíbrio, consciência e luz para as intuições.

Triturado e queimado em carvão em brasa nas defumações o anis estrelado é excelente para as meditações e ampliar a percepção. Nos fumos sagrados… bom, essas mesmas funções, mas vamos falar disso mais para frente num texto sobre os preparos!

Muita gratidão, muita luz e inspiração nos nossos caminhos!