Preto Velho

Preto Velho

Preto Velho na Umbanda é o arquétipo de entidades elevadas que se apresentam como anciões.

Assim, são profundos conhecedores da Magia Divina e da manipulação de ervas.

Igualmente são excelentes mandingueiros, mestres dos elementos da natureza, os quais utilizam em seus benzimentos e trabalhos espirituais.

Ademais, acredita-se que esta Linha de Trabalho tenha surgido em referência à dor e aflição sofrida pelo povo negro durante a escravidão no Brasil.

Dessa forma, a Linha de Preto Velho reflete e valoriza a humildade, a sabedoria, a paciência e a perseverança.

Assim, estes são os principais atributos que estes Guias de Trabalho buscam nos passar nos atendimentos.

Pretos Velhos são também entidades que se apresentam em corpo fluídico de velhos africanos que viveram nas senzalas, em sua maioria.

Portanto, muitos morreram no tronco ou de velhice. Adoram contar histórias do tempo do cativeiro.

Sábios, ternos e pacientes, dão o amor, a fé e a esperança aos “seus filhos”.

Vale dizer que não necessariamente todos foram escravos; sua sabedoria e humildade são características marcantes e sua calma e ensinamentos são profundos, daí também a referência a estes iluminados seres da Criação.

Assim, a característica principal desta Linha é a sua elevada orientação espiritual.

Dessa forma, a Linha de Preto Velho na Umbanda é regida na força do Orixá Obaluayê que é o Orixá sustentador da Evolução, da transmutação e transformação dos seres.

LEIA TAMBÉM  O dia em que o Preto Velho foi expulso de um Centro

Mas os Pretos Velhos também se apresentam e transitam na irradiação de outros Orixás, sendo figura importante na sustentação e divulgação da religião desde o seu surgimento.

Por fim, nos atendimentos nos Terreiros, Preto Velho é sinônimo de sabedoria, força emocional, simplicidade e bons aconselhamentos.

Relações

Regência principal: Obaluayê
Campo de atuação: Sabedoria e Perseverança
Cores: Branco
Ervas: Arruda e Guiné
Flores: Crisântemo branco, Lírio branco, Margarida
Bebidas: Café, Pinga com mel
Oferendas: Arroz doce, Canjica, Doce de abóbora, Doce de sidra, Bolo de fubá
Banhos: Arruda, Rosa branca, Comigo ninguém pode
Data comemorativa: 13 de maio
Dia da semana: Segunda-feira
Sincretismo: São Benedito
Saudação: Adorei as Almas!

Preto Velho 1