Poder da Gratidão

0
832
Publicidade

Poder da Gratidão é um tema que já foi falado e repetido por várias pessoas e pode parecer que estou “chovendo no molhado”.

“Poxa esse é o segundo texto que ela escreve para o Umbanda Eu Curto e vai falar do Poder da gratidão?”, alguns poderiam pensar…

Então vamos fazer diferente:.não vou falar do poder da gratidão; vou contar uma história!

No início do ano, durante uma consulta incorporada, minha Pombagira estava conversando com uma moça muito depressiva, negativa, que achava que a vida dela não tinha nada de bom.

– Senhora, minha vida não tem nada de bom, não acho graça em nada, as pessoas estão sempre tentando me enganar, as coisas dão sempre errado, não tenho vontade de nada, parece que estou vivendo como um zumbi, fazendo as coisas do dia a dia como um robô…

Eu que estava ali ‘dentro’ ouvindo tudo e então comentei mentalmente com a Pombagira:

“Mãe, ela deve estar com alguma demanda muito grande!”

E a sábia resposta a mim (também mentalmente) de minha amada Pombagira foi:

“Apenas ouça a lição de casa que vou dar a ela, pois também estou passando pra você.”

E a Pombagira falou à consulente:

– Vou te dar uma lição de casa e quero que a realize por todos os dias, por 5 minutos, durante 1 mês. Será que consegue?

– Depende Senhora. Minha vida é tão complicada que não posso me comprometer todo dia com nada… o que é?

– Quero que pegue um caderno pequeno e todos os dias, na hora que for deitar, coloque a data, enumere com 1,2 e 3 e depois escreva ao lado apenas 3 coisas pelas quais você está grata ao fim do dia. Não 2 nem 4 – apenas 3. Mas não é para agradecer por grandes coisas como ‘agradeço pela Vida, pelo Oxigênio, pelo planeta, pela encarnação’, etc. Quero que você agradeça por coisas bem pequenas que aconteceram no seu dia. Pode ser?

– 3 coisas? Acho que 3 é demais! Talvez eu consiga apenas 1, se conseguir!

– Então, filha, quando não tiver 3 coisas para escrever, repita a mesma coisa por 3 vezes. Assim fica mais fácil?

– Vou tentar Mãe, mas não prometo nada! Obrigada! Levantou-se e foi embora.

Fiquei pensativa, pois essa lição de casa não se encaixava na minha vida, pois eu era uma pessoa feliz e sempre grata, mas me calei, pois outra pessoa já estava na nossa frente pra ser atendida.

Quando cheguei em casa procurei um caderno em branco e escrevi na primeira página: “Caderninho da Gratidão”.

E comecei a tarefa diária das 3 gratidões durante 1 mês.

No início, só pensava nas gratidões que estava acostumada a fazer antes de dormir e ao acordar:

“Agradeço pela vida, pela família, pelo alimento, pela casa, pela saúde e etc.”

Mas sempre lembrava das palavras da Pombagira: agradecer por coisas bem pequenas que aconteceram no seu dia!

Então comecei de novo:

Agradeço pela torta maravilhosa que minha mãe fez…

Agradeço porque não tinha fila no caixa do banco…

Agradeço porque fiz uma viagem tranquila…

Agradeço pela visita da minha sobrinha, e assim fui indo.

Confesso que foi difícil no começo, pois antes de dormir, nem lembrava direito dos detalhes de cada dia, então era um esforço lembrar de cada momento encontrando as 3 gratidões do decorrer do dia.

Mas então comecei a desenvolver técnicas para facilitar o fluxo do poder da gratidão. Durante o dia, quando algo acontecia, eu logo pensava: à noite vou escrever isso no Caderninho da Gratidão. E antes de dormir, escrevia.

Depois aprimorei a técnica e passei a andar com um mini bloco na bolsa e quando algo acontecia eu corria e escrevia; depois repassava para o caderno ‘oficial’ à noite.

E o que aconteceu é que passei a estar o dia todo atenta, pois a qualquer momento uma das minhas gratidões diárias poderia acontecer. E fui percebendo que coisas maravilhosas aconteciam a cada momento do meu dia.

Passou 1 mês e continuei. Não tive vontade de parar a lição de casa!

Um dia estava meio triste, pra baixo, num dia ruim, sem ver muito as gratidões e resolvi reler o caderninho nas últimas semanas e aquilo foi me enchendo de ânimo.

E, apesar de estar lendo, meu cérebro lembrava o momento e meu coração sentia como se estivesse acontecendo novamente. E então me preenchi de amor, esperança, ânimo e vontade!

Foi nesse momento que entendi de verdade o Poder da Gratidão – de forma concreta e palpável – visto que eu estava sentindo ali era muito real. Ler as gratidões mudou meu estado de espírito como um passe de mágica!

Percebi então o que minha Pombagira tinha me dado com o Caderno da Gratidão: uma fonte inesgotável de serotonina misturada com oxiticina espirituais – uma fluoxetina à minha disposição a qualquer momento que eu precisar.

Resumindo: UM ESTADO DE GRATIDÃO PERMANENTE!

É agora que vocês me perguntam: e a moça do início da história?

Tenho poucas notícias dela e não são muito diferentes do que eram do início do ano: depressiva, negativa, triste.

Sinceramente, acho que ela não fez a lição de casa. Mas sei que eu fiz e fico pensando se minha Pombagira sabia que ela não faria a lição de casa, se ela sabia que eu faria e se também sabia o quanto faria diferença na minha vida algo tão simples e poderoso: o Poder da Gratidão!

Foto/Reprodução: praymoreretreat.com