Obsessão espiritual: manifestação da influência nos encarnados

0
5073
Publicidade

As pessoas não imaginam como é grande a influência da obsessão espiritual nos encarnados…

E isso em todos os sentidos, desde o excesso de bebida alcóolica, sexo, doenças mentais e físicas.

Durante um passeio de automóvel, Yedda estava calada, deixando transparecer alguma preocupação. Pensei ser algum problema na escola, onde era a diretora. Quebrei o silêncio:

– O que te preocupa? – perguntei.

– É uma professora – esclareceu.

– Encrenca? – arrisquei.

Ela me contou a razão de sua tristeza. Na escola uma das professoras estava passando por um problema enorme.

A professora, ainda bem jovem, morava com sua irmã, casada. Há algum tempo, o cunhado começou a demonstrar ciúmes dela, não a deixando sair com amigos, vigiando seus passos, aliás, comportamento totalmente estranho e inadequado para a situação, até que o inevitável aconteceu: declarou seu amor por ela, sua cunhada.

Não havia outra maneira a não ser ter que se mudar, extremamente magoada, diante do absurdo deste amor.

Como contar à sua irmã?

Deveria esclarecer a razão de sua saída, ou, para não magoa-la, esconder esta faceta suja daquele que era seu marido?

À medida que minha mulher relatava a situação, eu ia tendo uma intuição muito forte. Perguntei:

– A moça é uma chinesa, alta, bonita, com cabelos pretos, longos e bem tratados?

– A descrição se encaixa, exceto a nacionalidade. Não é chinesa, mas seu apelido é China – esclareceu.

– Diga para a moça ter paciência que, provavelmente, poderemos resolver. Do lado dela está o espírito de um moço moreno, por ela apaixonado, que se envolve em seus cabelos e tenta um relacionamento sexual – esclareci.

– Mas como pode um espírito ter relacionamento desta espécie?

– Ele não pode, e aí é que existe o perigo. O espírito tem a emoção e precisa provocar o relacionamento para se embriagar no êxtase.

Ele obsidiou o cunhado da moça, influenciando sua cabeça e despertando esta paixão que não existia nele, e sim no próprio espírito.

Se acontecer o relacionamento, ele será, com certeza, um parceiro na cama do casal. Mas vamos torcer para reverter este quadro de obsessão espiritual.

O médium, em ocasiões como esta, e também em algumas até de forma inconsciente, atrai para si a energia do espírito da obsessão espiritual, neutralizando temporariamente a ação dele no obsidiado.

Na sessão seguinte preparei-me para atrair o espírito.

Mentalizei a conversa com a Yedda na cena vista intuitivamente.

Não demorou muito, um dos médiuns de nossa corrente incorporou a entidade.

Gritava e afirmava não se afastar de onde estava. Às vezes dizia estar envolvido naqueles cabelos negros e longos.

Era o amor que procurava. Ninguém iria prejudicá-lo ou desviá-lo de seu intento, já quase conquistado.

Ele esqueceu-se da força de Jesus. Nós, simples médiuns, cheios de defeitos, mas imbuídos da vontade de ajudar nossos semelhantes, conseguimos, com a graça de Deus, afastar a entidade causadora da obsessão e encaminhá-la, através dos nossos Guias, para um hospital do espaço.

Foi concluído o trabalho. No dia seguinte, minha mulher dava a notícia.

A professora estava radiante. Seu cunhado rogou-lhe para não sair de casa e jurou-lhe todo o respeito que sempre lhe dedicou.

Não sabia como chegou aquele ponto, quase de loucura. Mas caiu na realidade e não sabia como se desculpar.

Afirmou amar a sua irmã e não sabe o que lhe tinha acontecido. Ele não sabia, mas nós tínhamos a consciência do afastamento do obsessor e sua obsessão espiritual pecaminosa.

Até hoje a moça desconhece a realização do trabalho deste grupo espírita que atuou no anonimato.

No caso anterior, o espírito sabia estar desencarnado e tinha conhecimento de como manipular as energias da matéria.

Não era ruim, apenas perdido, sem orientação e voltado para as banalidades de uma vida comum e devassa, e não tinha nenhuma ligação com a família na qual, vibratoriamente, ligou-se.

Espíritos desse tipo, como também os espíritos familiares, são fáceis de serem encaminhados.

Texto retirado do livro Grifos do Passado, disponível no site do Terreiro do Pai Maneco