Melissa e outras ervas sem restrições

0
71
Publicidade

Melissa e outras ervas.

Chamamos de ervas não somente as “folhas medicinais”. Chamamos de ervas todo elemento natural vegetal, seja casca, raiz, folha, seiva, fruto ou flor.  Cada parte da erva tem sua função energética.

As flores são concentradoras de energias específicas, assim como as folhas.

As raízes são ótimas concentradoras da vibração energética do elemento terra.

Quando falamos de ervas medicinais, como conhecemos popularmente, falamos sobre ervas com poder de prevenir e muitas vezes curar doenças, auxiliar em tratamentos alopáticos (medicina tradicional), fortalecer o organismo afim de que os remédios tradicionais funcionem melhor.

A medicina tradicional pouco a pouco vem aceitando o uso de recursos naturais para facilitar a vida de seus pacientes. Os chás, banhos terapêuticos, florais, aromas, são um exemplo vivo disso. A própria homeopatia, reconhecida pela sociedade médica, é outro exemplo.

Vale lembrar que um diagnóstico deve sempre ser feito por um médico habilitado. Esse profissional estudou profundamente a fisiologia humana e tem condições, seja apenas através de uma consulta ou exames mais complicados, chegar a um diagnóstico, tratamento e resultado favorável ao paciente.

As ervas têm características próprias e várias funções terapêuticas, sendo que a mesma erva pode desencadear efeitos diferentes em pessoas diferentes.

O organismo humano difere de pessoa para pessoa, sendo assim, o resultado de uma terapia com ervas pode sim ter resultados diferentes.

Algumas ervas já são reconhecidas pelos organismos legais de saúde como o Hipérico (Hipericum perforatum), conhecido também como “Erva de São João”, para tratamento da depressão.

Há também ervas que podem ser usadas sem restrição como a melissa (Melissa officinalis), que é um ótimo calmante, indicado para casos de ansiedade e insônia.

Deve ser administrada na forma de chás, mornos de preferência, antes de dormir.

Pegue algumas folhas de melissa, lave-as muito bem em água corrente e coloque em uma xícara. Despeje água quente em cima, deixe tampado por alguns minutos. Se preferir, coloque uma colher pequena de açúcar ou use seu adoçante.

Você poderá usar também a melissa já desidratada, embalada corretamente e de procedência garantida.

Evite ervas sem procedência, mal embaladas, com aparência ruim. Rejeite ervas sem identificação e sem o respaldo de uma empresa idônea.

Infelizmente há muitas ervas sendo embaladas por amadores e sem as boas práticas de higiene que o produto e seu consumidor merecem.

Use seu bom senso, analise a embalagem e seu conteúdo. A erva não deve estar “feia” na embalagem, com aspecto de velha, empoeirada ou mofada. Não deve estar ao Sol ou em local aberto, disposta à poluição.

São pequenas práticas que, com certeza, farão com que seu preparo de ervas seja valorizado e tenha seu efeito potencializado.

Saúde, sucesso e muitas realizações a todos!

Maiores informações, acesse nosso site: www.erveiro.com.br

 

COMPARTILHAR
Próximo artigoO que é Umbanda?
Conhecido como O Erveiro da Jurema, é Sacerdote da Umbanda formado por Ronaldo Linares e por Rubens Saraceni. Se dedica à religião e à difusão do conhecimento das ervas e elementos da natureza, sempre com simplicidade e bom senso. Autoridade no assunto, é autor de livros sobre ervas, palestrante e ministra cursos desde o ano 2000.