Espiritualidade elevada: 10 hábitos para chegar lá

0
4222

Espiritualidade elevada é algo complicado hoje em dia.

A primeira barbeiragem no trânsito, bem à sua frente e pronto: suas emoções já foram para o espaço.

Somos humanos, afinal.

Mas como se tornar, cada vez mais, um espírito livre?

Com uma mentalidade mais evoluída, tendemos a ver e fazer as coisas de forma diferente.

Daí, nossas atitudes acabam refletindo desse novo nível de consciência.

Veja abaixo 10 atitudes. Você pode até já estar no caminho!

 

1. Praticar meditação ou yoga

Um dos aspectos mais importantes para ter espiritualidade elevada é reforçar o sentido de que somos todos um.

O uso da meditação ou yoga reforça o sentimento de unidade com o universo, trazendo mais equilíbrio. Alguns usam simplesmente para separar seus pensamentos e emoções.

Cada um tem seu próprio tempo.

 

2. Adotar alimentação saudável

O corpo físico é o instrumento de trabalho para o Espírito. É natural que no crescimento espiritual tenhamos uma consciência maior daquilo que colocamos para dentro dele, sabendo identificar o que nos faz bem e o que nos faz mal.

O autoconhecimento nos leva automaticamente a esse aprendizado.

 

3. Reduzir, reutilizar e reciclar

Espiritualidade elevada leva a uma maior consciência do Todo, o que inclui utilizar ou reutilizar materiais não poluentes, preservando o planeta Terra.

Comprar sem excesso, usar menos sacolas plásticas, reciclam com mais freqüência, usam produtos biodegradáveis.

Nosso mundo não mais suportará o nível de consumo atual.

 

4. Ser grato

Agradecer é reconhecer a dádiva de estar vivo. É estar conectado com o Universo. Vai além de qualquer religião.

Agradeça pela chuva, pelo dia de Sol, pela comida, coisas simples. Acordar de manhã e dar um longo abraço em alguém ou simplesmente agradecer por esta pessoa existir. Atos de gratidão ampliam a conectividade com o mundo.

 

5. Ser positivo

Momentos e dias ruins todos temos. A pergunta é: por quanto tempo você fica nessa ‘bad’ ou nesse ‘bode’?

Ser positivo é espalhar amor, esperança e luz.

O negativo existe, é fato, mas você escolhe o que pensar e sentir.

É por isso que quando as pessoas começam a despertar, percebem que não têm mais nada em comum com alguns amigos.

 

6. Assistir menos televisão

Espiritualidade elevada não combina com televisão. É desperdício de tempo!

Prefira viver de verdade, seja lendo, viajando, conversando, pesquisando, construindo algo.

Mas há filmes, séries e programas interessantes, que ajudam, entretem e fazem pensar, é claro. O problema é quando simplesmente apertamos o ‘play’ e ficamos inertes.

 

7. Cooperar e não competir

As pessoas com espiritualidade elevada buscam transformar o mundo ao seu redor para que possam viver melhor.

Mesmo dentro de empresas conservadoras, buscam proximidade com pessoas que detém o mesmo pensamento, para que possam harmonizar energeticamente o ambiente de trabalho.

Financiamento coletivo (ou crowdfunding) é um exemplo de que quando cooperamos tudo evolui, tudo se transforma para melhor.

 

8. Incentivar novas ideias

Criticar sonhos e iniciativas dos outros é fácil e quase automático para muita gente.

Incentivar o próximo é um exemplo de altruísmo e leveza. Sua própria estrela brilha mais e mais.

 

9. Ser influenciador pelo exemplo

Ao invés de impor seus pensamentos e opiniões, prefira expor, explicar e até se desculpar, dependendo da situação.

Na memória de quem tem contato com você, somente lembranças boas ficarão.

 

10. Valorizar a simplicidade

Você conhece alguém que, pouco antes da morte, se arrepende por não ter comprado este ou aquele carro?

A verdadeira riqueza da vida encontra-se nas coisas mais simples, como no sabor de uma comida, num abraço, na energia do Sol, num sorriso, no silêncio.

 

E você, se identificou com algum desses hábitos?

Espiritualidade elevada é um processo, não se preocupe.

Deixe o seu espírito guiá-lo, sorria, trabalhe, invista em você.

Ninguém vive a sua vida, apenas você, que é seu próprio guia.

Busque sua essência, sua comunidade, encontre-se. Você não está sozinho.

Fonte: Pranazen