Publicidade

Pombagira, na Umbanda, é Orixá sim!

Pombagira irradia estímulo, desejo pela vida e também se manifesta como entidade espiritual incorporada em médiuns nos Terreiros.

Com o passar do tempo, a Pombagira atingiu um grau análogo ao de Exu e muitos passaram a chamá-la de Exu Feminino.

Inicialmente como Guia de Trabalho nos Terreiros, a Pombagira foi construindo um arquétipo forte, poderoso e assim combativo ao machismo da sociedade.

A palavra Pombagira é derivada de uma corruptela do nome Mpambu Njila, que seria um Nkice (Inquice) Bantu.

Esse nome foi sendo alterado em terras brasileiras, primeiramente para Pambu Bjila, posteriormente para Bombogira e por fim Pombogira ou Pombagira.

O arquétipo da mulher livre das convenções sociais, liberal, provocante e insinuante vai além da própria figura, nos ensinando a força e firmeza de propósitos, do desejo resoluto pela vida e por nossos objetivos, que devem ser buscados sempre com entusiasmo e energia.

E não se enganem: a todos Ela ouve com compreensão e a ninguém nega seus conselhos e sua ajuda num campo que domina como ninguém mais é capaz.

Sua desenvoltura e seu poder fascinam até os mais introvertidos que, diante dela, se abrem e confessam suas necessidades. Com isso, trabalha nos seres a auto-estima e a busca da realização pessoal, com coragem e confiança em si próprio.

Pombagira é um dos mistérios do nosso Divino Criador que rege sobre a sexualidade feminina e, conforme revelado ao médium e autor Rubens Saraceni, por meio de seu Guia Pai Benedito de Aruanda, assume o posto de Orixá na Umbanda, sem prejuízo para as Pombagiras que atuam nos Terreiros.

A irradiação desta Orixá Maior continuará agindo sobre as Guias de Trabalho com as mesmas características e ensinamentos.

Além disso, ela lida com uma espécie de sombra que todos temos, seja consciente ou inconscientemente. Assim, expõe nossos desejos mais profundos (e também nossos defeitos e desafetos) para em seguida agir sobre eles para que possamos retornar ao equilíbrio espiritual.

Quando fizer uma oração, apelo ou oferenda à Orixá Pombagira saiba que ela ajudará, mas também irá expor a você seus defeitos, medos, enfim, trabalhará o seu íntimo da maneira como você é, sem julgamentos e sem culpas.

Para Ela, você é o que é, sem hipocrisias. Enxergando a si mesmo, a chance de corrigir e melhor é revelada. Qual caminho a seguir, aí já é com você!

 
Segundo Rubens Saraceni:

“Amem-na e respeitem-na os que entendem que o arquétipo é liberador da feminilidade tão reprimida na nossa sociedade patriarcal onde a mulher [ainda] é vista e tida para a cama e a mesa.”

A espiritualidade superior que arquitetou a Umbanda sinalizou a todos que não estava fechada para ninguém e que, tal como Cristo havia feito, também acolheria as mulheres e não encobriria com uma suposta religiosidade a hipocrisia das pessoas que, “por baixo dos panos”, o que gostam mesmo é de tudo o que a Pombagira representa com seu poderoso arquétipo.

Este arquétipo forte e poderoso já pôs por terra muito falso moralismo, libertando os seres da hipocrisia reinante e mostrando que a vontade é mãe da realização.

Na Umbanda, será sempre a orientadora, aconselhadora e motivadora da vida, de suas belezas e delícias, além, é claro, da imensa vontade de viver!

 

Relações

Irradiação: Estímulo
Campo de atuação: Estimulador e Motivador
Elementos: Atua à Esquerda nos Sete Sentidos da Vida
Cores: Vermelho ou bicolor vermelho/preto
Data comemorativa: 8 de março
Dia da semana: Segunda-feira
Sincretismo: Não há

COMPARTILHAR
Artigo anteriorOxumaré
Próximo artigoXangô
O Umbanda Eu Curto foi fundado em 2011 e trará sempre discussões e ensinamentos importantes sobre a Umbanda. De forma leve, trataremos nossa religião sempre com muito respeito e responsabilidade, tornando claros os conceitos em mais de 100 anos de história.