Publicidade

Oxumaré é Orixá que atua na vida dos seres para absorver, diluir e corrigir os desequilíbrios no campo do amor, além de irradiar energias de renovação.

Seus principais fatores de irradiação espiritual são o diluidor e o renovador, pois a energia de Oxumaré se movimenta por meio de uma onda dupla: uma onda dilui as negatividades dos seres e a outra onda, simultaneamente, os renova.

Essa onda dupla é simbolizada por duas serpentes entrelaçadas num eixo vertical, imagem muito comum em diversas culturas.

E é por isso que este é um dos mistérios de Oxumaré: cobra ou serpente.

Mas esta serpente não se refere ao animal, pois ela representa a kundalini, um tipo de energia que circula no chakra básico de cada um de nós.

Para ficar claro, o significado da palavra chakra vem do sânscrito e significa “roda de luz”.

Os chakras são centros de energia que representam os diferentes aspectos da natureza sutil do ser humano.

A energia kundalini não é apenas uma energia sexual; é a energia da alegria, da satisfação e do prazer de viver.

Oxumaré nos ampara e auxilia em todas as dificuldades no campo do amor, da afetividade no geral e do relacionar-se com o outro.

Quando alimentamos ódio, ciúmes, ressentimentos e mágoas ou dificuldades no campo da sexualidade, por exemplo, podemos pedir a Ele que dilua esses sentimentos negativos e renove o nosso íntimo, curando esses bloqueios indesejáveis.

É também por conta disso que Oxumaré é tido como Orixá da renovação dos seres, pois reaviva a energia em um movimento duplo, diluindo os desvios no campo do amor e renovando-os ao mesmo tempo.

 

Por quê o Arco-Íris?

“Na antiga África negra, em tempos imemoriais, vivia Oxumaré, filho de Nanã, a mais antiga das mulheres.

A beleza de Oxumaré era admirada por todos, que invejavam o luxo de suas roupas coloridas.

Um dia a chuva resolveu castigar a Terra: os rios se encheram, as doenças se espalharam e os animais começaram a morrer afogados.

Oxumaré, que não tinha muita simpatia pela chuva, cortou o céu com seu punhal de prata e a fez parar.

Desde então, toda vez que isso acontece, ele pode ser visto enfeitando o céu, sob a forma de um arco-íris.”

Trecho do livro “Oxumaré, o Arco-Íris”, de Reginaldo Prandi

 

Relações

Irradiação: Amor
Campo de atuação: Renovador e Agregador
Elementos: Mineral e Aquático
Cores: Azul turquesa e Azul claro
Data comemorativa: 24 de agosto
Dia da semana: Terça-feira
Sincretismo: São Bartolomeu

COMPARTILHAR
Artigo anteriorOxum
Próximo artigoPombagira
O Umbanda Eu Curto foi fundado em 2011 e trará sempre discussões e ensinamentos importantes sobre a Umbanda. De forma leve, trataremos nossa religião sempre com muito respeito e responsabilidade, tornando claros os conceitos em mais de 100 anos de história.