Publicidade

Marinheiro na Umbanda é sinônimo de alegria.

A Linha de Marinheiro da Umbanda trabalha no auxílio aos seres a partir do seu magnetismo e conhecimentos sobre a manipulação de energias.

Nesta Linha se apresentam espíritos que em suas últimas encarnações foram marinheiros de fato, navegadores, oficiais, pescadores, ribeirinhos entre outros.

Marinheiro é o arquétipo do homem litorâneo, aquele que sobrevive do mar e dos rios.

Nos Terreiros, a chegada dos Marinheiros traz muita alegria, com os médiuns incorporados assumindo uma postura leve, gingando pra lá e pra cá.

Isso pode confundir, parecendo até que estariam embriagados. Contudo, é importante destacar que NÃO estão embriagados.

É apenas o magnetismo aquático que os fazem ficar assim, como se estivessem balançando.

Isso ocorre porque cada elemento tem o seu magnetismo, e os espíritos que se manifestam nesta irradiação têm magnetismo similar às características de sua Regência Divina, neste caso, um magnetismo ‘ondulante’ de Iemanjá.

Ao incorporar no médium, o Marinheiro ‘bambeia’, lembrando o movimento de quem se equilibra em um navio ou barco em alto mar.

E isso não é à toa! Desta forma, libera energias em formas onduladas e, através dos seus balanços, libera ondas de forte magnetismo que desagregam acúmulos negativos.

Assim, o arquétipo do Marinheiro auxilia a nos equilibrar emocional e mentalmente, essencial para retornarmos ao positivo em nossas vidas.

Vale lembrar que as águas simbolizam as nossas emoções e estão ligadas à origem da vida.

O contato com esses seres realiza uma potente limpeza em nosso campo magnético, uma verdadeira ‘explosão’ de energia equilibradora.

Marinheiro representa um arquétipo único dentro da Umbanda, na manipulação de energias que nos libertam de bloqueios íntimos e nos dão equilíbrio emocional.

Pode parecer pouco, mas hoje a própria ciência analisa e admite os efeitos dos distúrbios emocionais como geradores de várias enfermidades.

Assim, a cura emocional é o primeiro grande passo para outras conquistas.

Os Marujos lidam com os consulentes de forma simpática e extrovertida, ‘quebrando o gelo’ e deixando-os à vontade, o que facilita a recepção dessas energias equilibradoras e curadoras.

 

Relações

Regência principal: Iemanjá
Campo de atuação: Quebra de bloqueios emocionais, limpeza e equilíbrio
Cores: Azul Claro e Branco
Ervas: Alfazema, Erva cidreira, Anis estrelado, Camomila, Manjericão, Manjerona, Mulungu (casca e raiz)
Flores: Rosa branca, Flor de Hibisco, Margarida, Cravo branco, Hortênsia
Bebidas: Suco de Pêra e Melão, Água de côco, Leite com mel, Cerveja clara, Conhaque com mel, Rum, Vinho branco.
Oferendas: Arroz, Cebola Branca, Noz moscada, Pedras, Conchas, Búzios, Estrelas do Mar, Fitas, Linhas
Banhos: Mescla de ervas e flores acima a gosto
Dia da semana: Segunda e Sexta-feira
Saudação: Salve a Marujada!

COMPARTILHAR
Artigo anteriorPombagira
Próximo artigoMalandro
O Umbanda Eu Curto foi fundado em 2011 e trará sempre discussões e ensinamentos importantes sobre a Umbanda. De forma leve, trataremos nossa religião sempre com muito respeito e responsabilidade, tornando claros os conceitos em mais de 100 anos de história.